Hub português da Mercedes será o maior da Europa

Construtor de automóveis alemão vai ter pelo menos 125 pessoas no centro digital de Lisboa até final de 2019.

Portugal vai ter o maior centro digital da Mercedes na Europa. O espaço de inovação Mercedes-Benz.io de Lisboa vai contar com pelo menos 125 especialistas em programação até ao final do próximo ano e, a prazo, será mesmo maior do que os escritórios de Berlim e Estugarda juntos. Instalado desde maio do ano passado no espaço de trabalho partilhado Second Home, o centro digital do construtor de automóveis alemão vai mudar-se para um escritório de dois mil metros quadrados no Hub Criativo do Beato no verão de 2019. É a partir daqui que serão fornecidas soluções tecnológicas para todo o mundo, exceto China e Estados Unidos.

"Em 2019, Lisboa vai ser o maior hub digital da Mercedes na Europa. Para o ano, vamos ser pelo menos 125 programadores mas temos a ambição de crescer mais. Este escritório está preparado para mais do que 125 pessoas", garante Alexandre Vaz, líder do Mercedes-Benz.io português, ao DN/Dinheiro Vivo, à margem da apresentação do projeto.

A criação de aplicações ligadas aos automóveis da marca alemã e o desenvolvimento de tecnologias para a condução autónoma e de ferramentas para empresas da dona da Mercedes, como a aplicação MyTaxi, são três dos exemplos do trabalho que está a ser desenvolvido a partir de Portugal.

Na Factory Lisbon, liderada por Jeremy Bamberg e Simon Schaefer, a marca alemã irá conviver com outras empresas digitais e mesmo com startups. "Existe um espírito e uma troca de ideias que influenciam toda a maneira de pensar e a rapidez com que fazemos as coisas." Em Lisboa, a Factory irá ocupar um total de 12 mil metros quadrados, que correspondem aos edifícios da antiga fábrica de massas e da bolacha, duas das unidades que pertenciam à antiga Manutenção Militar. O Mercedes-Benz.io vai ocupar cerca de dois mil metros quadrados dentro destes edifícios.

Mais investimentos na calha

A Mercedes foi a primeira marca a anunciar a abertura de um centro digital em Portugal. A empresa de Estugarda foi seguida, entretanto, pelas rivais alemãs: em junho, o grupo BMW e a portuguesa Critical Software criaram o consórcio Critical TechWorks, que vai ter centros de engenharia tecnológica no Porto e em Lisboa; o grupo Volkswagen vai inaugurar um centro de desenvolvimento no segundo semestre, que dará emprego, no médio prazo, a 300 pessoas.

"Há dois ou três anos, se me perguntassem se seria possível desenvolver o digital das marcas automóveis em Portugal, toda a gente diria que não. Hoje, é uma realidade", recorda Alexandre Vaz.

O Hub Criativo do Beato conta com um total de 35 mil metros quadrados e deverá receber cerca de três mil pessoas. Além da Startup Lisboa, da Factory e da Mercedes, o Super Bock Group e a Web Summit são as primeiras empresas a estabelecer-se na antiga Manutenção Militar. Este espaço foi concessionado, em 2016, à Câmara de Lisboa, por 50 anos.

Exclusivos

Premium

Contratos públicos

Empresa que contratava médicos para prisões não pagou e sumiu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.