Premium Há cada vez mais escolas e alunos portugueses na Califórnia

Quatro anos depois do acordo celebrado entre o Instituto Camões e a Luso-American Education Foundation para fomentar o ensino de Português na Califórnia, o número de estudantes da língua nas escolas irá ver o maior aumento de sempre.

Há décadas que a história da comunidade portuguesa na Califórnia é escrita. As largas vagas de emigração de Portugal para o estado norte-americano desde o século XX encheram as ruas de heranças lusitanas que perduraram até aos dias de hoje. Mas quando o primeiro português explorador, João Rodrigues Cabrillo, ali desembarcou, em 1542, a comunidade ainda não estava preparada para acolher a língua portuguesa. Assim se tornou apenas código dentro das casas das famílias imigrantes - quase inexistente do lado de fora. Cerca de 500 anos depois, já faz até parte dos programas curriculares e o ano letivo que agora se inicia contará com mais de dois mil estudantes da língua ao longo de todo o estado.

Kayla Ferreira, 17 anos, está no seu último ano de secundário, na Tulare Union High School. Desde o primeiro ano do secundário que a aluna partilha uma sala com 44 outros estudantes que frequentam a aula de Português como língua estrangeira. A vontade de estudar a língua e a cultura portuguesas tem na sua base o legado familiar de Kayla, neta de portugueses, com quem já consegue falar fluentemente. Por isso, desde cedo que "queria saber mais sobre a cultura e ser fluente". Confessa que as aulas têm encurtado a distância física e ajudado a que se sinta "cada vez mais próxima da cultura familiar".

Ler mais

Exclusivos