Premium O português é neto do latim e filho do galego

A língua portuguesa nasceu da junção de múltiplas influências - dos celtas aos árabes, passando pelos germânicos. No seu último livro, o linguista Fernando Venâncio vai mais longe ao pôr o português a descender diretamente do galego e não do latim.

"A história da língua portuguesa pode ser resumida numa frase: falamos uma língua que nasceu fora do nosso território (de nós, portugueses) e cujo futuro será em larga medida decidido fora das nossas mãos. A língua portuguesa, numa visão temporal ampla, acha-se de passagem por Portugal." A explicação do linguista Ivo de Castro remete-nos para esta verdade óbvia: a história da língua portuguesa não começou em 1143 com a formação do país, mas muito antes. Já o sabíamos, mas um livro publicado neste ano, Assim Nasceu Uma Língua, de autoria de Fernando Venâncio, vem dizê-lo de forma ainda mais clara.

Sabemos que o português tem um substrato céltico, oriundo das línguas faladas pelos povos pré-romanos que habitavam a parte ocidental da Península Ibérica. Em 218 a.C., os romanos invadiram a Península e trouxeram consigo uma língua, o latim, que começou a ser usado pelas elites mas acabou por se tornar a língua usada em todo o território. Em todos os aspetos - fonética, morfologia, léxico e sintaxe - a língua portuguesa é essencialmente o resultado de uma evolução orgânica do latim vulgar trazido por colonos romanos.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG