Premium Roger Eatwell. "Os eleitores dos populistas estão a ser tratados de forma injusta"

Especialista em fascismo e em populismo, o professor emérito em política na Universidade de Bath diz que devemos tentar compreender as motivações dos eleitores revoltados contra as democracias liberais.

Roger Eatwell, de 70 anos, assinou com Matthew Goodwin o livro National Populism e esteve em Lisboa para o lançamento da edição portuguesa, cujo título foi abreviado para Populismo (ed.Desassossego).

O livro está estruturado sob o chapéu de quatro D: desconfiança (nas elites), desalinhamento (dos partidos tradicionais), destruição (do modo de vida) e despojamento (aumento da desigualdade económica). Qual deles pode ser o mais disruptivo?
O que nós dizemos é que estes fatores são bastante complicados e inter-relacionados. É muito difícil separá-los. E não podemos esquecer-nos de que esta revolta começa nos anos 1990, com a Frente Nacional francesa e o Partido da Liberdade austríaco, muito antes da grande crise de 2008 e das grandes migrações de 2015. É uma revolta contra uma classe política e uma elite. São pessoas que, em geral, não rejeitam a democracia, querem eleições, mas sentem que uma elite emergente, educada, globalizada e voltada para as empresas tende a não ouvir o povo.

Ler mais

Exclusivos