Pornhub remove 10 milhões de vídeos após Visa e Mastercard terem cortado relações

Depois de reportagem alegar que site de pornografia hospedava vídeos com menores e "revengeporn", o que provocou uma reação de instituições de crédito, o mais popular site de pornografia do mundo reagiu aumentando o seu nível de exigência para padrões únicos.

O conhecido site de pornografia Pornhub - um dos que mais tem visitas na internet a nível global - está a remover todos os vídeos enviados para o site por utilizadores não verificados, o que significa vários milhões de vídeos. A medida está relacionada com os eventos desencadeados após uma reportagem do New York Times, que revelou que o site hospedava vídeos de menores de idade e de crianças a serem agredidas - além de um historial de manter vídeos mesmo sem autorização dos intervenientes.

Nos últimos dias a Visa e a Mastercard suspenderam os serviços dados à plataforma (que permitia compras pelo site) na sequência da reportagem. Ontem, o Pornhub anunciou que ia começar a limitar os uploads para que passassem a ser feitos apenas por utilizadores verificados e parceiros oficiais da plataforma - antes qualquer um, mesmo com cadastro criminal, poderia por exemplo colocar vídeos roubados ou gravados ilicitamente.

Entretanto, o Pornhub que até agora tinha-se sempre mostrado reticente em remover vídeos, anunciou que já excluiu 10 milhões de vídeos, numa medida aplicada a todos os sites da MindGeek, a empresa proprietária da plataforma que inclui YouPorn e Redtube.

O site Motherboard fez a contabilização dos vídeos disponíveis no Pornhub, que passaram de 13,5 milhões no domingo passado, para apenas 2,9 milhões na manhã de segunda-feira.

Após a reportagem do Times, Visa e Mastercard estão agora a investigar se o site estava a promover conteúdo ilegal. A suspensão do serviço de pagamentos pode representar um problema significativo para as receitas do Pornhub e dos seus parceiros.

João Tomé é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG