Pedro Nuno Santos: "Precisamos de tirar as pessoas dos carros"

Ministro das Infraestruturas e da Habitação defende que ferrovia é a melhor solução para a descarbonização dos transportes, mas "precisamos de mais comboios e de mais pessoas nos comboios", disse à margem da Conferência Transport Research Arena (TRA), que decorre até quinta-feira, no Centro de Congressos de Lisboa. O governante garantiu ainda que tem o total apoio do Ministro da Economia, António Costa e Silva, para o investimento nos caminhos-de-ferro.

"A ferrovia é uma das soluções mais viáveis para a transição climática". A afirmação de Pedro Nuno Santos, proferida durante a sessão de abertura da Conferência TRA - Transport Research Arena 2022, não deixa margem para dúvidas de que o ministro das Infraestruturas e da Habitação não perde uma oportunidade de defender "a sua dama". No seu discurso, o governante destacou a importância de uma melhor cobertura territorial e a eletrificação da totalidade da rede como prioridades fundamentais "para que toda a mobilidade funcione".

Perante uma plateia que reúne investigadores, académicos, indústria e responsáveis políticos de toda a Europa, o ministro destacou igualmente a rapidez de ação e de transformação que a descarbonização exige, não só para o cumprimento das metas climáticas definidas pelo Green Deal, mas também para que se concretizem os projetos de interligação modal de que há anos se fala para o setor dos transportes.

No entanto Pedro Nuno Santos defende que, à luz de um melhor aproveitamento de recursos, é fundamental que se recuperem estruturas já existentes. E exemplifica, referindo a recuperação de carruagens que se encontravam paradas, uma operação em curso que, garante, colocará estes equipamentos em circulação durante o próximo ano. Adicionalmente, refere, "estamos a contribuir para a economia circular e para a inovação".

Já à margem da conferência, e durante a visita que efetuou à zona de exposição da conferência, o ministro das Infraestruturas disse aos jornalistas que, mais do que apostar numa substituição massiva dos veículos a combustão por elétricos, "é fundamental tirar carros da estrada, e as pessoas dos carros, para que usem mais os transportes coletivos". Pedro Nuno Santos acredita que esta transição para o elétrico deve ser gradual, "até porque a indústria não conseguiria produzir rapidamente tudo o que é necessário, e porque fazer esta transição não resolve todos os problemas de mobilidade que temos nas cidades", acrescentou.

As oportunidades geradas pela transição energética também devem ser olhadas com atenção, defende o ministro. "Temos que estar preparados para produzir coisas novas, a partir das infraestruturas que já existem", aponta. Contudo, reforça, "Os transportes coletivos, em especial o comboio, são o caminho, pelo que precisamos de mais comboios, e de mais pessoas a usá-los". Uma estratégia que assegura estar a ser seguida pelo Governo e apoiada a 100% pelo Ministro da Economia, António Costa e Silva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG