FMI diz que orçamento de Portugal "vai na direção errada"

Com uma dívida superior a 120%, Portugal devia expandir o excedente primário estrutural para controlar mais o orçamento. Não é o que está a acontecer.

O orçamento de Portugal "vai na direção errada", mostra o Fundo Monetário Internacional (FMI), que vê o País "expandir" a política orçamental este ano; e isto num contexto de "alto endividamento", com o rácio da dívida pública ainda acima de 120% do produto interno bruto (PIB). Com um endividamento tão elevado, as contas públicas deviam ir na direção oposta, argumenta.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.