Os produtos que marcaram pelo menos uma geração

Os anos 80 e 90 do século XX estão na moda. Músicas da altura dão azo a festas temáticas. Mas há mais no baú das memórias

Patrícia Viegas
O Capri-Sonne é uma marca de bebidas de fruta criada nos anos 60 na Alemanha. O nome junta o nome da ilha italiana de Capri à palavra sol em alemão que é Sonne. Em Portugal teve o seu auge nos anos 80. Havia de laranja, ananás, maçã e limão. Em 1987, Eusébio, o Pantera Negra, chegou a participar numa campanha de publicidade em que a marca oferecia 300 bolas de futebol autografadas pelo jogador. Depois de a marca ter sido vendida, os sumos passaram a chamar-se Capri-Sun, incluindo em Portugal, onde ainda pode ser encontrado à venda | foto D.R.
OMO é uma marca de sabão em pó britânica. No Brasil foi um sucesso e em Portugal também. Na década de 50 até havia demonstradoras que andavam pelo país a explicar como se usava para lavar roupa. Nos anos 80 e 90 foram lançados alguns anúncios que ficaram na história. Como o da música da Aldeia da Roupa Branca de Beatriz Costa. OMO lava mais branco foi um dos slogans mais repetidos. OMO é a abreviatura para Old Mother Owl (velha mãe coruja)  | foto D.R.
Sumol é uma marca de refrigerantes vendida em Portugal. Foi criada em 1945 por um grupo de amigos, em Algés, tendo a primeira bebida, o Sumol de Laranja, sido apresentada aos consumidores quase dez anos depois, em Algés, numa garrafa pirogravada. Começaram depois a aparecer outros sabores. Na década de 80 começaram a aparecer latas. Sumol, bebida com gás, resulta da junção das palavras Sumo+Sol.  | foto D.R.
Quem é que nunca marcou encontros com amigos na praia junto à bola da NIVEA? Esta fazia publicidade ao creme com o mesmo nome, criado em 1911, na Alemanha. O NIVEA, que quer significar neve branca, foi o primeiro creme hidratante da história. Em Portugal pronuncia-se Nívea. Nos anos 80 a marca expandiu-se no mercado. Nos anos 90 surgiram os primeiros produtos para homem, pois durante muito tempo a única coisa que os homens usavam, para tratar da sua pele, era água e sabão | foto D.R.
Os Sugus eram rebuçados doces de frutas criados na Suíça em 1931 mas comercializados por todo o mundo. Em Portugal foram muito populares também. A origem do nome vem das línguas escandinavas nas quais suge significa chupar. O sucesso foi de tal ordem que sugu se tornou quase sinónimo para qualquer caramelo | foto D.R.
"O Boca Doce é bom, é bom é...Diz o avô e diz o bebé. O Boca Doce é bom, é bom, é!!!" Este foi o jingle que ficou no ouvido de muita gente. Os pudins Boca Doce existiam em diversos sabores, Baunilha, Ananás, Caramelo, Chocolate e Flan. Rivalizavam com os pudins El Mandarim. Outra das marcas que dominaram os anos 80 | foto D.R.
Ainda hoje existem à venda os sabonetes Feno de Portugal. Nascido nos anos 30 na fábrica de sabonetes de Santa Clara assumia-se como o melhor sabonete português. "Feno de Portugal, aroma da natureza", cantava uma voz suave, no jingle dos anos 80. Antes de se multiplicar a existência de vários tipos de gel de banho era o sabonete o mais usado. Hoje ainda algumas pessoas preferem usar o último ao primeiro | foto D.R.
Durante muito tempo foi a única pastilha elástica disponível. Toda a gente achava graça e chegava a haver concursos informais de balões de pastilha para ver quem fazia o maior. As Gorila continuam a existir até hoje. Produzidas pela Lusiteca em Mem Martins. Há de vários sabores mas a mais vendida é a de menta | foto D.R.

Muitos destes produtos marcaram a infância e adolescência de muita gente nascida e crescida na década de 80 e 90 do século XX.

Sumol, Capri-Sonne, Sugus, Creme Nivea, OMO são apenas alguns deles.

Veja na galeria de imagens de quantos destes produtos consegue lembrar-se nas recordações da sua juventude.