Há quatro mestrados de gestão entre os melhores do mundo em Portugal

À Nova SBE, a mais bem classificada, em 23º, juntam-se ainda a Católica (45º), o ISCTE ( 86ª) e a FEP (98º) no ranking Financial Times Masters in Management 2021

Portugal tem quatro mestrados de gestão entre os 100 melhores do mundo, de acordo com o ranking do Financial Times de 2021 hoje divulgado. Aos nomes da Nova SBE, da Católica-Lisbon e do ISCTE Business School, que regressa este ano ao ranking, junta-se, ainda, a Faculdade de Economia da Universidade do Porto.

A avaliação do ranking Financial Times Masters in Management 2021 incide sobre 18 indicadores que avaliam as escolas em três categorias principais: o progresso na carreira dos ex-alunos, a diversidade da instituição e a experiência internacional e de investigação. Há ainda uma categoria de apontamentos adicionais incluídos para aferir elementos diversos que complementam a qualidade da escola e do mestrado, como a sua duração, ou a satisfação geral com o programa, embora estes não sejam considerados para efeitos da classificação no ranking.

Em 23º lugar da tabela está a Nova SBE, que, em comunicado, destaca que se mantém como "a única instituição de ensino portuguesa a figurar no top40 deste conceituado ranking internacional". Comparativamente à edição de 2020, cai sete lugares.

"De entre os indicadores avaliados, a Nova SBE destaca-se como a escola portuguesa cujos alunos, num prazo de 3 anos, atingem o nível salarial mais elevado. Também ao nível da mobilidade internacional a escola portuguesa ganha vantagem sobre a maioria das escolas avaliadas posicionando-se como a 14ª melhor do mundo neste indicador que tem em consideração as oportunidades de carreira em mercados internacionais que as business schools proporcionam aos seus alunos", destaca a instituição.

Na 45º posição está a Católica-Lisbon, que cai um lugar em relação ao ranking de 2020. É o 11º ano consecutivo que a instituição integra o top dos melhores mestrados do mundo. "Entre os vários critérios que contribuem para estes resultados, como a taxa de empregabilidade de 91% nos 3 meses após a conclusão do mestrado ou o aumento de 56% do salário nos 3 anos seguintes, é de destacar também a elevada proporção de professores (38%) e alunos (89%) internacionais", refere a Católica-Lisbon em comunicado. É a "mais internacional das escolas portuguesas" que integram a tabela, garante.

De regresso ao ranking do Financial Times, depois de uma ausência em 2020, está o mestrado de gestão da ISCTE Business School, que ocupa a 86ª posição. Em 2019, estava em 93º lugar.

A IBS destacou-se pelo aumento percentual do salário dos seus antigos estudantes, com um crescimento de 86% desde o primeiro vencimento após a conclusão do curso: é o melhor resultado português neste indicador e o 7º. lugar a nível global, garante. A escola conseguiu ainda o 13º. lugar geral no "progresso da carreira". A percentagem de mulheres no corpo docente (48%) e a satisfação dos antigos estudantes com o curso (8.76 em 10) foram outros dos critérios em que a Iscte Business School conquistou os melhores resultados nacionais, explica o comunicado da ISCTE.

Por fim, no 98º lugar está a Faculdade de Economia da Universidade do Porto, que integra o conceituado ranking pela primeira vez, mas fica em 4º lugar na tabela referente ao progresso da carreira dos alunos que concluíram o mestrado da FEP.

A suíça University of St Gallen, a francesa HEC Paris, a britânica London Business School e a holandesa Rotterdam School of Management são as cinco universidades que ocupam o top5 do Financial Times Masters in Management 2021.

Ilídia Pinto é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG