Conceição sobre Marega: "Todos os jogadores estão focados, menos um"

O treinador portista assumiu este sábado ter dúvidas se a reintegração de Marega no plantel portista será positiva e explicou que "tudo vai depender do comprometimento" do maliano.

O presidente dos 'dragões', Pinto da Costa, disse este sábado, em entrevista ao jornal O Jogo, que está muito contente com a resposta que Marega tem dado nos treinos que faz à parte do plantel e que deverá ser reintegrado no grupo durante a próxima semana. No entanto, Sérgio Conceição admitiu não estar tão confiante como o dirigente, assumindo desconhecer se a reintegração do melhor marcador da equipa na época passada será benéfica.

"Não sei se será uma boa notícia. Depende! Se o Marega treinar, se o Marega estiver comprometido, se o Marega estiver envolvido. Vamos ver. Não quero falar mais disso", disse o treinador, que voltou a falar do jogador mais à frente quando confrontado com "o comprometimento de Brahimi. Numa altura em que os mercados de transferências de Inglaterra e Itália já fecharam, Sérgio Conceição foi questionado pelos jornalistas sobre se Brahimi está, ou não, focado no FC Porto. "Sempre esteve. O Brahimi e todos os jogadores, excetuando um caso que tivemos e que já falámos aqui hoje", disse Sérgio Conceição, referindo-se a Moussa Marega

O maliano tem treinado à parte do plantel portista e ainda não foi opção para o treinador nos dois jogos oficiais disputados, casos das vitórias na Supertaça Cândido Oliveira, frente ao Desportivo das Aves (3-1), e na primeira jornada, diante do Desportivo de Chaves (5-0). O técnico 'azul e branco' reiterou a concentração dos jogadores, durante a conferência de imprensa de antevisão da visita ao Belenenses SAD, no domingo, no Estádio Nacional, em Oeiras, marcada para domingo (18.30).

"Todos estão muito comprometidos, muito envolvidos. Aqui, neste clube, pelo menos comigo, não tenho nenhum jogador que não estivesse envolvido, que tenha tido menos comprometimento ou envolvimento. Situações de fora, criadas pela imprensa, por um possível clube ou empresário, há sempre, mas nós conseguimos... aliás, esse foi um dos grandes segredos para o FC Porto ganhar o título (...) penso que este ano está exatamente igual e quem não está dessa forma não cabe ali dentro. Não há lugar para ele no balneário", finalizou.

"Historicamente difícil"

O técnico assegurou ter a lição bem estudada em relação ao Belenenses SAD, salientando que o FC Porto está preparado para as dificuldades que pode encontrar. "O FC Porto tem de marcar mais um golo do que o adversário para conseguir ganhar o jogo. É um jogo historicamente difícil contra uma equipa que, à semelhança do que fez na parte final do último campeonato, é interessante, muito organizada sem bola, atrevida com bola, uma equipa competente", afirmou Sérgio Conceição.

Na conferência de imprensa de antevisão do encontro, Conceição enalteceu a importância de a sua equipa conseguir um bom jogo. "Vamos encontrar as dificuldades normais de jogar contra uma boa equipa. Mas os jogos muitas vezes dependem muito mais do que nós fazemos e nós estamos preparados para pegar no jogo e fazer o necessário para os três pontos", frisou.

Sérgio Conceição falou ainda do processo disciplinar aberto pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol a Brahimi, depois de a Comissão de Instrutores da Liga de clubes ter arquivado a queixa do Benfica contra o jogador. "No ano passado, havia a novela das denúncias anónimas, este ano pega-se nos jogadores individualmente. Não tenho de dar exemplos sobre o que foi o Herrera na final da Supertaça com o Aves. Levou três ou quatro pontos, ficou a sangrar, foi agredido por um adversário e não vi ninguém a falar nisso", recordou.

O treinador deixou ainda escapar um desejo para esta época em relação "às novelas" que protagonizaram a temporada passada. "Gostava que o campeonato deste ano fosse o campeonato dos adeptos, dos comentadores também porque fazem parte do futebol, e eu tenho um respeito grande por aqueles que falam de futebol e não do futebol. Gostava que criticassem o Sérgio Conceição, o Rui Vitória, o José Peseiro e os outros todos pelas opções que tomam, pelas substituições que fazem pela estratégia de jogo. Queria muito que isso acontecesse", rematou.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.