Pinto da Costa disse a Brahimi que não o vai deixar sair

Ao que o DN apurou o argelino recebeu convites tentadores por parte de clubes dispostos a negociar com o FC Porto mas o presidente portista travou todas as investidas tendo comunicado a sua decisão ao extremo, que termina contrato dentro de menos de um ano

Yacine Brahimi não vai deixar o FC Porto nesta janela de mercado, apesar de estar a menos de um ano do fim do contrato que o liga aos dragões. O DN sabe que surgiram convites tentadores por parte de clubes dispostos a negociar com o campeão nacional e também com capacidade para oferecer um salário superior ao que o extremo aufere no Dragão.

Brahimi, ao que o DN apurou, mostrou-se entusiasmado com algumas propostas recebidas e estava com vontade de embarcar numa nova aventura mas Pinto da Costa teve uma conversa com o argelino e comunicou-lhe que a menos que seja batida a cláusula de rescisão, no valor de 60 milhões de euros, o FC Porto não dará luz verde à sua saída. Para esta tomada de posição contribui também o facto de Sérgio Conceição considerar o extremo uma peça nuclear para que o FC Porto consiga atingir os seus objetivos desportivos.

Esta é uma decisão de risco por parte do FC Porto pois Brahimi termina contrato em junho de 2019 e no próximo mês de janeiro pode comprometer-se com outro clube tendo em vista a próxima temporada. E se isso acontecer, o FC Porto perde Brahimi a custo zero.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.