Corpo retirado do avião em que seguia Sala

Corpo foi recuperado dos destroços do avião que caiu com o avançado argentino Emiliano Sala e o piloto David Ibbotson a bordo.

A Agência de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB) do Reino Unido retirou em "condições desafiantes" um corpo dos destroços do avião que se despenhou com o reforço do Cardiff, Emiliano Sala, e o piloto David Ibbotson, a bordo.

A operação foi realizada "da maneira mais digna possível" e as famílias dos dois homens foram sendo atualizadas durante todo o processo, acrescentou a AAIB, num comunicado de imprensa acedido pelo jornal argentino Clarín .

Apesar do resgate, a agência não pode informar a quem pertence o corpo resgatado, que foi transportado para a ilha de Portland para análise forense. "A identificação é um assunto da polícia e das autoridades forenses", disse Jack Short, da AAIB, ao também argentino La Nación.

Os destroços do avião foram encontrados no domingo a noroeste da ilha de Guernsey, a 63 metros de profundidade. Recorde-se que o argentino Sala - que no início da carreira jogou em Portugal, no FC Crato, dos distritais de Portalegre - se transferiu do Nantes para o Cardiff por 17 milhões de euros e viajava para o País de Gales a bordo de uma avioneta privada quando esta desapareceu dos radares no dia 21 de janeiro, quando sobrevoava o canal da Mancha.

Esta informação surge no mesmo dia em que surgiu a notícia de que o Nantes vai interpor uma ação legal para receber o valor total da transferência do avançado argentino no prazo de dez dias. Isto porque os responsáveis do Cardiff retiveram o pagamento da primeira prestação até terem em sua posse toda a documentação relativa à negociação. Uma fonte do Cardiff, citada pela BBC, garante que o clube galês irá honrar todos os compromissos assumidos com o Nantes, mas apenas depois de serem clarificados todos os factos que levaram à tragédia.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.