O regresso da Rosa é atração em dia de São Silvestre

Campeã olímpica da maratona em 1988, Rosa Mota, volta hoje a correr a tradicional prova de fim de ano na Amadora, aos 58 anos

Quando falamos de uma prova de estrada, de meio-fundo ou fundo, com grandes tradições no atletismo, o mais provável é que tenha o nome de Rosa Mota incluído no palmarés de vencedores. As tradicionais São Silvestres de fim de ano não fogem à regra. Basta olhar para o histórico de vencedores da mais famosa São Silvestre do mundo, que se corre desde 1925 em São Paulo, no Brasil. Sabe quem é ainda o atleta recordista de vitórias? Sim, a "Rosinha" (diminutivo carinhoso pelo qual a campeã olímpica de 1988 foi registada no léxico popular português), que ganhou lá por seis vezes.

Ora, em Portugal é na Amadora que se corre a mais famosa e antiga São Silvestre do país, que teve em Carlos Lopes, outro dos campeões olímpicos portugueses, o seu primeiro vencedor, em 1975. E, como não podia deixar de ser, Rosa Mota também aqui deixou a sua marca de vitória, ao ganhar a corrida em 1989, um ano depois do ouro olímpico na maratona de Seul.

Mas o seu contributo mais inesperado para esta corrida vai acontecer hoje, na 42.ª edição da prova. Aos 58 anos, a eterna "menina da Foz" portuense, atualmente vice--presidente do Comité Olímpico de Portugal, vai voltar a correr na São Silvestre da Amadora, tornando-se assim a principal atração das corridas deste último dia do ano.

Rosa Mota, que acedeu ao desafio da presidente da autarca local, Carla Tavares, não será, obviamente, candidata à vitória. Para isso estarão na Amadora alguns dos bons nomes da atual geração, como Salomé Rocha, Catarina Ribeiro e Marisa Barros, no setor feminino - e outros como Rui Pinto, Licínio Pimentel, Samuel Barata e Hugo Correia no masculino. Mas a campeã olímpica de Seul promete correr a totalidade dos 10 km, o que é por si só uma grande atração. E, além disso, Rosa mostrou há duas semanas, em Setúbal, que continua a manter um bom ritmo aos 58 anos, tendo competido na São Silvestre do Sado que encerrou o programa de Setúbal Cidade Europeia do Desporto e terminado a prova em quinto lugar.

Com o regresso da Rosa como figura de cartaz, a São Silvestre da Amadora, que apresenta este ano mais de 1500 inscritos, tem início marcado para as 17.50 no caso da elite feminina, com a partida geral a ser dada dez minutos depois, às 18.00.

Corrida matinal em Lisboa

Além da Amadora, este dia 31 de dezembro contempla também na agenda a São Silvestre de Lisboa. Na capital, a tradição de realizar a competição no último sábado do ano levou a corrida a coincidir com as celebrações da passagem do ano, o que ditou a alteração inédita da prova para as 10.30 da manhã.

A corrida volta a ser animada por uma "guerra dos sexos", com as mulheres a partir 2,59 minutos mais cedo do que os homens. Nesta altura, o histórico está favorável às mulheres, por 4-3. Dulce Félix vai tentar repetir a vitória de 2015 e terá como um dos rivais masculinos o companheiro Ricardo Ribas. Jessica Augusto e Hermano Ferreira são outros dos nomes presentes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG