"Torneio que escolhia para vencer? O Estoril Open"

João Sousa estreia-se na madrugada de segunda-feira no Open da Austrália

Como preparou a época 2018? Mudou alguma coisa, relativamente às anteriores?

Este ano fizemos uma semana em Tenerife com o Dominic Thiem, Dusan Lajovic, entre outros, para aproveitar o bom tempo, excelentes instalações e infraestruturas de apoio e novos métodos de treino. Depois fiz duas semanas em Barcelona a aperfeiçoar questões técnicas com o meu treinador Frederico Marques e a treinar com diferentes jogadores do top 100.

A entrada em Brisbane foi boa e depois do jogo com Donald Young disse estar contente com a forma como jogou, agressivo e bom no capítulo do serviço É essa a imagem do João Sousa que vamos ver em 2018?

Sim, é assim que me sinto bem e para isso que temos vindo a trabalhar e vamos continuar.

Que expetativas para este ano. Vamos ter o melhor João Sousa de volta? Algum objetivo pessoal em termos de ranking?

Expetativas são as de sempre: dar o máximo em cada treino e encontro, apresentar um bom nível de ténis, aperfeiçoar pequenas questões técnicas e subir no ranking o máximo possível.

Em 2016 repetiu o melhor desempenho no Australian Open. Este ano é possível fazer história e passar da terceira ronda num Grand Slam pela primeira vez?

Só posso garantir que vou dar tudo dentro do campo para conseguir o melhor resultado. Como sempre.

Como lida com as expectativas dos adeptos e dos portugueses em geral, que esperam voltar a ver o João vencer um torneio ATP?

É para isso que trabalho todos os dias. Ninguém mais do que eu quer que isso volte a acontecer.

Este ano Portugal vai ter cinco jogadores do setor masculino no mesmo Grand Slam, João Sousa no quadro principal, João Monteiro, Gastão Elias, João Domingues e Gonçalo Oliveira

É sinal de que o ténis português está a evoluir. Espero que no próximo tenhamos 5 jogadores no quadro principal!

Com Murray de fora e Djokovic e Wawrinka longe da melhor forma, haverá alguém capaz de desafiar Nadal e Federer na Austrália?

O nível entre os jogadores de topo é muito equilibrado. Basta um mau dia para serem eliminados. Tudo pode acontecer.

Quem da nova geração os pode ameaçar, na sua opinião?

O Kyrgios, o Zverev e o Thiem estão a apresentar um excelente ténis. Nunca se sabe.

Se pudesse escolher um torneio para vencer em 2018. Qual seria e porquê?

Seria o Estoril Open. Seria ótimo poder vencer em casa diante do meu público e dos meus fãs.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.