Volta a Portugal de 2018 passa por alguns concelhos afetados pelos incêndios do ano passado

Presidente da República vai acompanhar a terceira etapa da Volta, designada Etapa Vida, que vai ligar a Sertã e Oliveira do Hospital

A 80.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta vai passar por alguns concelhos afetados pelos incêndios em 2017 na terceira etapa, num percurso entre Sertã e Oliveira do Hospital que vai ser acompanhado pelo Presidente da República.

Em 04 de agosto, a designada Etapa Vida vai ligar Sertã a Oliveira do Hospital, num total de 175,9 quilómetros, em homenagem às populações da zona centro do país, tentando intensificar a promoção dos territórios afetados.

De acordo com a organização da prova, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai acompanhar o pelotão nesta tirada, que foi custeada por alguns dos patrocinadores da Volta, que a ofereceram aos concelhos afetados pelos incêndios de junho de 2017.

Esta etapa vai partir às 12:30 da Alameda da Carvalha, na Sertã, e terminar na Rua D. Carlos Campos, em Oliveira do Hospital, por volta das 17:30, depois de ter percorrido os concelhos de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera, Lousã, Góis, Arganil e Tábua.

A 80.ª edição da Volta vai ter início em Setúbal, com o prólogo, em 01 de agosto, e termina no dia 12, em Fafe, com um contrarrelógio individual.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.