Al-Hilal quer Jesus e Everton aponta a Sérgio Conceição

O treinador do Sporting vai receber proposta milionária para se mudar para a Arábia Saudita, enquanto o técnico campeão pelo FC Porto tem um grande pretendente em Inglaterra

Jorge Jesus e Sérgio Conceição têm mais um ano de contrato com Sporting e FC Porto, respetivamente, mas estão a ser cobiçados por clubes estrangeiros para abraçarem novos projetos desportivos na próxima temporada.

Ao que o DN apurou, os sauditas do Al-Hilal estão interessados em contratar o técnico leonino, de 63 anos, e disponíveis para indemnizar o Sporting em sete milhões de euros, valor correspondente aos salários da época de contrato que falta cumprir. Os responsáveis dos bicampeões da Arábia Saudita, sabe o DN, vão apresentar nos próximos dias um contrato milionário a Jorge Jesus para que assuma o comando da equipa que nesta época teve o argentino Ramón Díaz no comando técnico.

O clube saudita apresenta como trunfo muito dinheiro para contratar futebolistas, sendo certo que um dos nomes desejados é Radamel Falcao, antigo goleador do FC Porto, que agora representa o Mónaco.

Fonte próxima do treinador do Sporting referiu ao DN que até ontem não tinha conhecimento de qualquer oferta nesse sentido, mas lembrou que Jesus sempre disse que não aceitaria assinar por uma equipa do Médio Oriente só pela questão financeira. Ou seja, à partida, será necessária uma grande capacidade de persuasão para convencer o treinador leonino a aceitar mudar-se para a Arábia Saudita.

É certo que as relações de Jorge Jesus com o presidente Bruno de Carvalho esfriaram após as críticas públicas do líder dos leões aos jogadores no jogo com o Atlético de Madrid, na capital espanhola, sendo esse um facto que poderá ser aproveitado pelos emissários sauditas para tentar convencer o técnico a aceitar o convite milionário. Resta saber se será suficiente...

Conceição bem cotado no Everton

No FC Porto, a continuidade de Sérgio Conceição ainda não é uma certeza, apesar de o treinador campeão ter mais um ano de contrato. O técnico viu a sua cotação subir em flecha e tem nesta altura vários pretendentes por essa Europa fora. Além do Inter Milão, tal como o DN noticiou na edição do dia 3 de maio, também o Everton, da Premier League inglesa, tem Conceição na mira.

Segundo o DN apurou, o técnico dos portistas está muito bem cotado numa lista de possíveis sucessores de Sam Allardyce, que foi contratado a meio da época para substituir Ronald Koeman, mas cujo trabalho não agradou 100% aos responsáveis dos toffees, pois o clube está no oitavo lugar e falhou o acesso à Liga Europa.

Sérgio Conceição é um dos técnicos que mais agradam aos ingleses, sobretudo pelo rigor e disciplina que incute às equipas e pelo facto de ter conseguido levar o FC Porto à conquista do título num ano de investimento nulo. Porém, ainda não foram feitos quaisquer contactos, até porque existem outros nomes na lista, entre os quais os portugueses Marco Silva e Paulo Fonseca

Depois dos festejos do título, quando foi confrontado pelos jornalistas sobre a sua continuidade no Dragão, Sérgio Conceição respondeu de forma irónica: "Não posso garantir, porque senão vocês não têm o que falar." O treinador dá prioridade ao FC Porto, mas vai esperar pelo final da época para reunir-se com Pinto da Costa, pois pretende ter garantias de um plantel de qualidade, já que além dos jogadores em final de contrato que devem sair (Marcano, Reyes e Casillas), há outros que podem ser negociados, casos de Brahimi e Marega.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ruy Castro

À falta do Nobel, o Ig Nobel

Uma das frustrações brasileiras históricas é a de que, até hoje, o Brasil não ganhou um Prémio Nobel. Não por falta de quem o merecesse - se fizesse direitinho o seu dever de casa, a Academia Sueca, que distribui o prémio desde 1901, teria descoberto qualidades no nosso Alberto Santos-Dumont, que foi o verdadeiro inventor do avião, em João Guimarães Rosa, autor do romance Grande Sertão: Veredas, escrito num misto de português e sânscrito arcaico, e, naturalmente, no querido Garrincha, nem que tivessem de providenciar uma categoria especial para ele.

Premium

João Taborda da Gama

Le pénis

Não gosto de fascistas e tenho pouco a dizer sobre pilas, mas abomino qualquer forma de censura de uns ou de outras. Proibir a vista dos pénis de Mapplethorpe é tão condenável como proibir a vinda de Le Pen à Web Summit. A minha geração não viveu qualquer censura, nem a de direita nem a que se lhe seguiu de esquerda. Fomos apenas confrontados com alguns relâmpagos de censura, mais caricatos do que reais, a última ceia do Herman, o Evangelho de Saramago. E as discussões mais recentes - o cancelamento de uma conferência de Jaime Nogueira Pinto na Nova, a conferência com negacionista das alterações climáticas na Universidade do Porto - demonstram o óbvio: por um lado, o ato de proibir o debate seja de quem for é a negação da liberdade sem mas ou ses, mas também a demonstração de que não há entre nós um instinto coletivo de defesa da liberdade de expressão independentemente de concordarmos com o seu conteúdo, e de este ser mais ou menos extremo.

Premium

Bernardo Pires de Lima

Em contagem decrescente

O brexit parece bloqueado após a reunião de Salzburgo. Líderes do processo endureceram posições e revelarem um tom mais próximo da rutura do que de um espírito negocial construtivo. A uma semana da convenção anual do partido conservador, será ​​​​​​​que esta dramatização serve os objetivos de Theresa May? E que fará a primeira-ministra até ao decisivo Conselho Europeu de novembro, caso ultrapasse esta guerrilha dentro do seu partido?