Fernando Alonso acredita na redenção. Testes provam melhoria

Espanhol da McLaren foi ontem 3.º nos testes de pré-época. "É mais provável um pódio meu do que um título do Real", diz.

Fernando Alonso e Real Madrid, dois dos maiores ícones do desporto espanhol, parecem andar de par em par na decadência dos últimos meses: desde 2014, quando a equipa de futebol venceu Liga dos Campeões e Mundial de clubes e o piloto deixou a Ferrari, que ambos vivem travessias de deserto sem fim à vista. Porém, agora, o asturiano acredita que a sua redenção (e da McLaren) vai acontecer primeiro do que a do emblema madrileno: "É mais provável um pódio meu do que um título deles." Os resultados dos últimos testes de pré-temporada de Fórmula 1 alimentam esse desejo.

Ontem, no circuito da Catalunha, em Montmeló (Barcelona), no primeiro dia dos derradeiros testes antes do arranque da época (Grande Prémio da Austrália a 20 de março), Fernando Alonso fez 93 voltas e conseguiu o 3.º melhor tempo (1:24.735). O espanhol só ficou atrás do Williams de Valtteri Bottas (1.23.229, 123 voltas) e do ainda insuperável Mercedes de Nico Rosberg (1.23.022 - 82 voltas).

A posição de pódio - ainda que nuns meros testes de pré-época - mostra uma evolução evidente do McLaren MP4-31 do piloto espanhol, que melhorou em cerca de 1,3 segundos em relação aos tempos conseguidos na semana passada (antes de uma avaria o ter deixado fora de pista). Mas só as próximas semanas permitirão perceber se em 2016 terá mesmo um carro menos frágil a nível técnico e mecânico, que lhe permita fazer esquecer a encruzilhada com que se deparou nos últimos tempos - quando chegou a ser posta a hipótese de abandonar as pistas (tirando um ano sabático) enquanto a McLaren não se mostrasse competitiva.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG