Poucos negros? Para Meryl Streep "somos todos africanos"

Perguntaram à atriz o que achava da polémica em torno da falta de diversidade racial nos Óscares e no júri do Festival de Berlim, a que preside. Eis a sua resposta

Meryl Streep, que preside ao júri do Festival de Cinema de Berlim, foi questionada esta quinta-feira acerca da diversidade racial nos nomeados aos Óscares e pelo facto de não existirem negros no painel de jurados da Berlinale.

"Eu estou muito empenhada na igualdade e inclusão de todos os géneros, raças, etnias e religiões. Devia haver inclusão e este júri é prova de que pelo menos as mulheres estão incluídas e, de facto, dominam este júri."

Quando um jornalista egípcio perguntou à atriz 19 vezes nomeada para os Óscares (em três delas vencedora) se compreendia os filmes do mundo árabe e da África do Norte, Streep respondeu: "Representei muitas pessoas diferentes de muitas culturas diferentes."

"Há um núcleo da Humanidade que passa através de cada cultura, e afinal, nós viemos todos de África." E remata: "Berlinenses, na verdade, somos todos africanos."

Se a intenção da atriz era soar a algo próximo do "Ich bin ein Berliner" do então Presidente dos EUA John Kennedy em 1963, não resultou. Meryl Streep tem sido fortemente criticada nas redes sociais desde então.

O comediante Travon Free resumiu, aliás, a situação ao dizer: "Hoje parece-me que Meryl Streep nunca teve tanta sorte por não estar no Twitter."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG