Marioneta gigante no aniversário da Acert

O festival Tom de Festa, um dos mais antigos festivais de músicas do mundo do país, que decorre em Tondela durante o mês de julho. Um Pequeno Polegar gigante marca os 40 anos da Acert.

De acordo com o diretor da Associação Cultural de Tondela (Acert), José Rui Martins, o evento de quatro dias terá início com a estreia de um espetáculo teatral que envolve um engenho cénico com cerca de sete metros de altura.

"Este é um ano muito especial, por ser aquele em que assinalamos 40 anos de existência. Como é um ano de honra na vida da Acert, a abertura do festival não vai ser com música, mas com teatro, área que esteve na fundação da própria Acert", justificou.

Durante a apresentação da 26.ª edição do Tom de Festa, que decorre em Tondela de 13 a 16 de julho, José Rui Martins evidenciou que O pequeno grande polegar estreia às 22:00 do dia 13 de julho, num local da cidade ainda a definir, devido às grandes dimensões do engenho cénico.

Depois do espetáculo, que fala da esperança e da necessidade de lutar pelos sonhos, a Acert propõe três dias de música com várias influências e repletos de mestiçagens entre ritmos e nações.

Para dia 14 de julho está agendado um espetáculo de Sérgio Godinho e ainda Sampladélicos, um projeto vídeo-musical que junta Tiago Pereira e Sílvio Rosado ao comando das mesas de misturas e dos computadores.

De Cuba chega a 15 de julho La Dame Blanche, que "tem como referência muito acentuada a música do seu país, e a transformou numa música mais impulsiva, introduzindo ritmos como o 'hip-hop' e o 'reggae'".

No mesmo dia, um outro projeto de música portuguesa, Há lobos sem ser na serra e ainda os Ezza, que nasceram em França e têm as suas raízes na cultura tuaregue do Níger.

Já a 16 de julho, do Senegal chega Cheikh Lô, "uma referência da música africana", o grupo de bombos portugueses Tocandar e ainda os espanhóis Spin Te Kú.

Para além da música, o Tom de Festa vai ter ainda um 'workshop' de cerâmica, intitulado Cerâmica Performance, onde marcarão presença ceramistas de todo o país.

"Vai ser um tributo a uma área artística que neste concelho é também uma marca distintiva. Serão ceramistas de vários pontos do país, que se juntarão aos de Molelos, e farão peças ao vivo", revelou.

Do resultado dos desempenhos artísticos dos ceramistas, ao longo dos três dias, resultará uma exposição, cuja instalação será da responsabilidade de Andreia Inocêncio.

"Este não é um festival só de música, é um festival que tem o ADN da Acert e por não ser massificante vai conseguindo atrair o público da comunidade, região, e também público nacional e internacional, exatamente porque o Tom de Festa é um local de encontro", destacou, realçando ainda que este "é talvez o festival mais económico para o espetador que há em Portugal, perante um programa desta natureza".

O presidente da Câmara de Tondela, José António Jesus, aproveitou a ocasião para frisar o evento como encontro de culturas e acima de tudo um ponto de encontro de pessoas.

"O Tom de Festa é um convite para que se viva um momento único, onde nos sentimos mais enriquecidos e onde Tondela é projetada nesse domínio. O eixo do IP3 e da A25 são canais que drenam, nesses quatro dias, de forma muito fluida para Tondela: esta marca cultural está presente, é viva e corresponde a algo em que todos estamos imbuídos", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG