"The Shape of Water" triunfa nos prémios atribuídos pelos críticos nos EUA

Resultados dos Critics' Choice Awards foram muito parecidos com os dos Globos de Ouro, no domingo

"The Shape of Water", do mexicano Guillermo del Toro, foi o grande vencedor dos Critics' Choice Awards, prémios atribuídos pelos críticos de cinema nos Estados Unidos, conquistando quatro galardões, incluindo o de melhor filme e de melhor realizador.

Com o triunfo na 23.ª edição dos Critics' Choice Awards, cuja cerimónia decorreu na quinta-feira na cidade de Santa Mónica, na Califórnia, o filme consolidou-se como um dos favoritos na corrida aos Óscares, marcados para março. No domingo, já tinha arrecadado dois Globos de Ouro.

O prémio de melhor ator foi para Gary Oldman ("A Hora Mais Negra") e o de melhor atriz para Frances McDormand ("Três Cartazes à Beira da Estrada").

Já "Coco", de Lee Unkrich e Adrian Molina, venceu na categoria de filme de animação e "In the Fade" (Alemanha e França), de Fatih Akin, arrecadou o prémio de melhor filme estrangeiro, tal como aconteceu nos Globos de Ouro.

No pequeno ecrã, "The Handmaid's Tale" foi eleita melhor série dramática, enquanto "The Marvelous Mrs. Maisel" a melhor série de comédia e "Big Little Lies" a melhor minissérie. "The Wizard of Lies" venceu na categoria de melhor filme televisivo.

O prémio de melhor ator de série dramática foi para Sterling K. Brown ("This is Us"), enquanto o de melhor atriz foi atribuído a Elisabeth Moss ("The Handmaid's Tale")

Ted Danson ("The Good Place") e Rachel Brosnahan ("The Marvelous Mrs. Maisel") venceram, respetivamente, nas categorias de melhor representação masculina e feminina de série de comédia.

Por fim, Nicole Kidman foi eleita melhor atriz de minissérie ("Big Little Lies") e Ewan McGregor ("Fargo") melhor ator na mesma categoria.

Ler mais

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."