Fundação Côa Parque contemplada com 450 mil euros de fundos comunitários

A Fundação Côa Parque viu aprovada uma candidatura a fundos comunitários no montante de cerca de 450 mil euros, destinados a projetos de valorização turística do Parque e Museu do Côa, anunciou hoje aquela instituição

"Logo que chegámos à fundação tentámos de imediato ver que instrumentos financeiros estariam à disposição para relançar a estratégia da fundação e vimos agora aprovadas esta candidatura no valor de cerca de 450 mil euros", disse à Lusa o presidente do Conselho Diretivo da Fundação Côa Parque, Bruno Navarro.

A candidatura foi financiada em 90% do seu total pelo Programa de Apoio à Valorização e Qualificação do Destino, promovido pelo Turismo de Portugal.

A Fundação Côa Parque está sedeada em Vila Nova de Foz Côa, no distrito da Guarda.

"O objetivo desta candidatura passa por preservar o património do Vale do Côa, e colocá-lo ao serviço de uma estratégia de dinamização turística e económica que sirva todo o território", frisou o responsável.

Agora será feita uma distinção do que será necessário fazer no Vale do Côa e nos Núcleos de Arte Rupestre.

"No Museu do Côa é preciso adotar um discurso museológico, que seja mais cativante, mais interativo e mais dinâmico, que esteja em permanente atualização, acompanhando muito de perto os conhecimentos que vão sendo aportados pelas equipas de investigação da fundação", indicou.

Bruno Navarro disse ainda que o Museu do Côa terá de se assumir como "o centro nevrálgico" da programação cultural da região, promovendo o diálogo com as mais diversas manifestações artistas contemporâneas.

"Temos de fazer a ligação de uma arte com mais de 30 mil anos com as manifestações artísticas mais contemporâneas, promovendo um calendário de eventos de elevado potencial turístico, que reforce a projeção nacional e até internacional do museu", explicou.

Para já, foi diagnosticada a necessidade de atualizar a estrutura tecnológica do museu, bem como as demais valências administrativas e funcionais daquele espaço cultural.

Os fundos provenientes da candidatura agora aprovada servirão, também, para reforçar a "marca do museu" através de um plano de 'marketing' e comunicação para que seja difundida nas mais diversas plataformas de informação.

Outro dos investimentos passa pela aquisição de novas viaturas, até ao final do ano, destinadas à visitação dos núcleos de arte rupestre, abertos ao público, bem como a implementação de um sistema de videovigilância que complemente o serviço de segurança implementado no Parque e no Museu do Côa.

O protocolo de atribuição dos fundos provenientes da candidatura será assinado na segunda-feira, na presença do ministro da Cultura e da secretária de Estado do Turismo, que marcarão presença no fórum "Turismo sustentável no Côa: que futuro?".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).