Coro Infantil da Casa da Música estreia-se

50 jovens do coro da Casa da Música, no Porto, sobem ao palco pela primeira vez no Dia Mundial da Música.

Vem aí a "prova de fogo". Depois de muitos meses de trabalho, o Coro Infantil da Casa da Música vai estrear-se hoje em palco e para 50 crianças é o grande dia, num concerto de grande destaque e onde irão dividir o palco com a Orquestra Sinfónica do Porto e o Coro Nacional de Espanha, numa interpretação da obra War Requiem, do compositor britânico Benjamin Britten.

O futuro começa na data em que se assinala o Dia Mundial da Música, mas o trabalho de casa já foi feito há muito, em meses de dedicação no processo de seleção dos coristas - em três escolas básicas do Porto, Matosinhos e Gaia - e nos ensaios dos escolhidos para integrar o Coro.

"Fiquei muito contente por ter sido escolhida e estou aqui para dar o melhor", disse o pequeno corista Diogo Mota, de 11 anos: "Já gostava de cantar, mas tinha vergonha. Estou a imaginar-me em cima do palco e tenho a certeza de que vai correr bem." Uma certeza partilhada por Luna Leite, de 9 anos: "Sempre quis ser cantora, se calhar porque a minha mãe cantava quando estava na barriga dela. Depois era só no chuveiro, agora é a sério." Luna conta estar ainda em êxtase por ter sido "escolhida entre tantos candidatos".

Foram 350 as crianças que passaram pelo processo de seleção e os pequenos "sortudos" não estão a desiludir. Nos ensaios há sorrisos e momentos de brincadeiras típicas da idade, mas a concentração e a exigência são uma constante e "ninguém se queixa". Raquel Couto, uma das formadoras musicais, explica que a fórmula para o "trabalho sério e dedicado" reside no facto de "estas crianças sentirem que fazem parte de algo importante". Acrescenta: "Evoluíram muito e são uns meninos de ouro, que adquiriram já inteligência emocional com a música." Couto avança que "no decorrer do processo de seleção, os professores registaram uma subida de notas". É o caso de Vítor Bueno, de 10 anos, que não vai descurar os estudos e admite acreditar que "o futuro passa pela música". "Já cantava na igreja e toco bateria. É o que quero fazer no resto da vida, mas sem deixar de estudar, que é importante", referiu. O menino está ansioso com a estreia, mas sem qualquer tipo de receio. "Não tenho medo, estou habituado ao palco", sublinha.

Este verão, o Coro Infantil da Casa da Música assistiu a um espetáculo da Orquestra Sinfónica, por iniciativa própria. "Prova do empenho e da vontade que têm de fazer mais e melhor", avançou Raquel Couto. "Eles já sentem que fazem parte da casa e que pertencem à grande família da Casa da Música", conclui.

O Coro Infantil junta-se ao leque de grupos residentes, constituído pela Orquestra Sinfónica do Porto, Orquestra Barroca, Remix Ensemble e o Coro da Casa da Música. Os pequenos coristas já deram provas nos ensaios das capacidades para superar o desafio e mostraram ser capazes de ultrapassar o nervosismo que antecede uma estreia. Contudo, na plateia contarão com o apoio dos pais. A estreia a solo destes coristas ainda não tem data, mas acontecerá antes do final do ano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG