Incêndios: O tempo depois

Ponto de Vista - O diretor-geral da Saúde, Francisco George, explica a importância do Guia de Cuidados de Saúde e de Apoio Social

As equipas de Saúde Pública da região centro, com o apoio de especialistas da Direção-Geral da Saúde e do Instituto de Segurança Social, ID em colaboração com o Diário de Notícias, lançam um Guia de Proteção para cidadãs e cidadãos, famílias e comunidades, em tempo depois dos incêndios. O objetivo é contribuir para reduzir os efeitos que decorreram da exposição a toda a tragédia e, naturalmente, prevenir novos riscos.

Há que reconhecer a dificuldade do processo que visa voltar à normalidade. Também todos sabemos da necessidade de respeitar o luto e o stress que se seguem às imensas perdas. Mas também há que reconhecer que não podemos desistir. Há sempre energias para mobilizar na perspetiva da reconstrução. Reconstruir a vida, a família, a comunidade. Reconstruir a esperança sem esquecer junho de 2017.

A Saúde Pública conduz iniciativas que visam eliminar riscos evitáveis. Além de conselhos e recomendações adequados a cada situação individual ou familiar, apontam medidas concretas, ainda que possam parecer simples, mas capazes de prevenir problemas.

A questão da saúde mental assume relevo central. Para tal, a fim de facilitar o acesso, encontra-se disponível o apoio das equipas comunitárias locais de saúde mental. Em situações mais raras poderão estar indicadas consultas de psiquiatria. Em qualquer dos casos, a automedicação é altamente desaconselhada.

Cuidados redobrados são necessários durante a gravidez e com crianças residentes no perímetro da área afetada. Devem ser observadas as recomendações previstas nos programas de saúde materna, infantil e de vacinação. Da mesma forma, há que atender à qualidade da água na preparação dos alimentos das crianças, devendo ser mantido o aleitamento materno, sempre que possível, visto que nos primeiros meses de vida é a forma mais segura.

Nesse sentido, devem ser procurados médicos, enfermeiros e técnicos de saúde ambiental da Unidade de Saúde Pública mais próxima.

Os serviços de Saúde Pública, em conjunto com representantes de outros organismos, incluindo câmaras municipais, estão a desenhar planos locais de saúde, específicos, para Figueiró, Pedrógão e Castanheira de Pera.

O futuro dependerá do que for feito hoje. É tempo de agir já.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Sociedade
Pub
Pub