Mais de 10 mil crianças migrantes desaparecidas na Europa

Crianças refugiadas em Berlim

Autoridades perderam o rasto a milhares de crianças. Cerca de metade desapareceu em Itália e mil na Suécia

Mais de 10 mil crianças migrantes não acompanhadas desapareceram na Europa, estima a Europol, agência de polícia europeia, que teme que muitas delas sejam exploradas, incluindo sexualmente, pelo crime organizado.

Os números, que foram divulgados na Internet pelo semanário britânico The Observer, foram hoje confirmados à AFP pelo gabinete de imprensa da Europol.

De acordo com Brian Donald, diretor da Europol citado pelo The Observer, os números divulgados respeitam a crianças a quem se perdeu o rasto após o seu registo pelas autoridades europeias - e a estimativa é conservadora, acrescenta. Cerca de metade delas desapareceu em Itália.

Destas 10 mil desaparecidas, nem todas "serão exploradas para fins criminais", adiantou. Algumas destas crianças migrantes ter-se-ão reunido com membros da sua família, "só que não sabemos onde estão, o que fazem ou com quem", acrescentou. No entanto, Donald confirmou que a Europel já recebeu provas de que algumas crianças refugiadas foram vítimas de exploração sexual.

Cerca de um milhão de migrantes chegaram à Europa no ano passado, naquela que é a pior crise migratória nesta região desde a Segunda Guerra Mundial, dos quais 27% são crianças, estima a Europol. "Nem todas elas estão sozinhas, mas temos que uma parte" das crianças entra na Europa sem companhia, explicou.

Segundo a organização Save the Children, cerca de 26 mil crianças não acompanhadas por adultos terão entrado na Europa no ano passado.

De acordo com Brian Donald, há uma "infraestrutura criminal" pan-europeia sofisticada que tem como alvo os migrantes com fins diversos.

Últimas notícias

Contéudo Patrocinado

Mais popular