Transportadoras querem que petrolíferas desçam margens

Governo baixou carga fiscal, mas empresas continuam a abastecer em Espanha, onde gasóleo continua a ser mais barato

As transportadoras de mercadorias continuam a abastecer em Espanha, onde o gasóleo se mantém mais barato, apesar da descida da carga fiscal em Portugal, e dizem que a situação só se altera se as petrolíferas descerem as margens de lucro.

"O Governo fez a parte dele e deixou de haver a velha máxima de que a culpa é dos impostos. Com a mesma carga fiscal de Espanha, as transportadoras não entendem a razão para o gasóleo continuar entre quatro e cinco cêntimos mais caro em Portugal", afirmou à Lusa o presidente da Associação Nacional de Transportadores de Mercadorias (ANTRAM).

Neste contexto, Gustavo Paulo Duarte considera que as petrolíferas não estão a ser agressivas e "assim as transportadoras continuarão a ter que abastecer em Espanha".

"As petrolíferas vão ter que compreender que têm que chegar a preços próximos dos de Espanha. Admitimos uma diferença de um cêntimo, no máximo de 1,5 cêntimos, devido à legislação diferente em termos de incorporação de biocombustíveis [4% em Espanha e 7% em Portugal], explicou o responsável.

Mas, acrescentou, "mais quatro a cinco cêntimos não se compreende", adiantando que para a empresa de transporte de mercadorias Paulo Duarte, por exemplo, representa "uma diferença de 65 mil euros ao final do mês".

Gustavo Paulo Duarte adiantou que esta semana seis dos maiores transportadores de mercadorias, associados da ANTRAM, vão reunir-se com as petrolíferas para lhes mostrar que se não abdicarem de parte das suas margem "perdem todos".

"Vamos levar as faturas para mostrar o que pagamos em Espanha. As companhias têm que compreender que para vender têm que ser mais competitivas. Estamos a trabalhar para que as transportadoras passem a abastecer em Portugal e para que o Governo possa alargar o gasóleo profissional aos postos de todo o país, depois da fase piloto que decorre até ao final do ano", esclareceu.

O período experimental do regime de gasóleo profissional para as empresas de transporte de mercadorias arrancou a 15 de setembro, em 55 postos de abastecimento de oito concelhos, em quatro zonas fronteiriças - Quintanilha, Vilar de Formoso, Caia e Vila Verde de Ficalho.

O gasóleo tem uma carga fiscal equivalente à praticada em Espanha, ou seja, elimina o diferencial de 13 cêntimos que existia relativamente aos impostos específicos sobre combustíveis (ISP).

Com esta medida, o Governo espera aumentar os abastecimentos em Portugal - travando a fuga para Espanha - e assim compensar a devolução estimada de 135 milhões de euros às transportadoras.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Dinheiro
Pub
Pub