Exclusivo Após décadas à espera e anos na prisão, Anwar chega ao poder na Malásia

Veterano político de 75 anos chega a primeiro-ministro sem maioria no Parlamento, que está muito dividido, após eleições de sábado.

Depois de cinco anos como vice-primeiro-ministro, duas passagens pela prisão por corrupção e sodomia - no que disse ser perseguição política após ter entrado em choque com o chefe de governo - e quase uma década como líder da oposição, Anwar Ibrahim tomou ontem posse como primeiro-ministro da Malásia. Mas o veterano político de 75 anos não tem uma tarefa fácil pela frente, não sendo claro como conseguirá governar com um Parlamento dividido entre a sua coligação multiétnica e reformista e os islamitas conservadores.

A Malásia teve três primeiros-ministros desde 2018 e as eleições de sábado deviam ter servido para pôr fim à instabilidade política no país. Mas só trouxeram mais incerteza, já que nenhum dos partidos conseguiu uma maioria suficiente no Parlamento de 222 lugares. A Aliança da Esperança de Anwar foi a mais votada, conseguindo eleger 82 deputados, enquanto a Aliança Nacional (direita), de Muhyiddin Yassin, que foi primeiro-ministro entre março de 2020 e agosto de 2021, elegeu 73 - em parte graças à força do Partido Islâmico Malaio, que sozinho elegeu 43 e é o maior no Parlamento. A Frente Nacional, que dominou a política durante três décadas e que estava há cerca de um ano no poder com Ismail Sabri Yaakob, só elegeu 30.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG