Premium Há 3685 desfibrilhadores em Portugal. Número dispara nos últimos quatro meses

Em quatro meses, o Instituto Nacional de Emergência Médica colocou mais de mil desfibrilhadores em espaços públicos. Mas faltam ainda muitos passos para cumprir à risca a legislação criada em 2012. No concelho de Ansião (Leiria), um enfermeiro apresentou uma proposta ao orçamento participativo e a câmara vai instalar 18 aparelhos nos espaços públicos. Foi lá que há dois anos um dispositivo desses salvou a vida a um bombeiro.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) colocou em quatro meses mais de mil desfibrilhadores no território nacional. Atualmente, o Programa Nacional de Desfibrilhação Automática Externa (PNDAE) contabiliza 3685 equipamentos de DAE, contra os 2453 que em junho deste ano estavam colocados nos recintos públicos, ao abrigo da legislação criada em 2012.

O número de desfibrilhadores automáticos externos (DAE) deverá continuar a aumentar nos próximos tempos, embora o INEM não consiga apontar uma previsão. "Este número não é previsível, uma vez que depende dos pedidos que o Instituto receba por parte das entidades externas e também dos meios de emergência que forem criados", disse ao DN o gabinete de comunicação do INEM, numa altura em que vários pedidos continuam a chegar.

Ler mais

Exclusivos