Tiago Pitta e Cunha integra missão da Comissão Europeia dedicada aos oceanos

O oceano foi considerado como uma prioridade no programa de investigação e inovação da Comissão Europeia para o período de 2021-2027. O "Horizonte Europa" conta com fundos no valor de 100 mil milhões de euros.

O presidente executivo da Fundação Oceano Azul, Tiago Pitta e Cunha, foi selecionado para integrar o Conselho de Missão da Comissão Europeia "Oceanos Saudáveis, Mares, Águas Costeiras e Interiores".

No âmbito do programa de investigação e inovação da União Europeia para o período de 2021-2027 "Horizonte Europa", que conta com fundos no valor de 100 mil milhões de euros, o oceano foi considerado, pela Comissão Europeia, como uma prioridade, a par de outros quatro temas.

"A Fundação Oceano Azul congratula-se com o facto de, pela primeira vez, a Comissão Europeia ter estabelecido um painel com esta importância para o oceano, bem como com a nomeação de dois dos seus membros do Conselho de Administração, Tiago Pitta e Cunha, CEO, e Peter Heffernan, Conselheiro Especial, para integrarem esta estrutura", lê-se no comunicado enviado ás redações.

Pascal Lamy, antigo Comissário Europeu e que foi diretor geral da Organização Mundial do Comércio, irá liderar este Conselho de Missão.

Cada comité de missão é composto por 15 especialistas que, até ao final de 2019, vão identificar o primeiro conjunto de ações possíveis nas respetivas áreas. Além disso, será criada uma assembleia para cada missão, reunindo um número maior de especialistas que possam contribuir com ideias e conhecimentos adicionais para o sucesso das cinco missões.

O programa "Horizonte Europa", estabelecido para 2021-2027, dá continuidade ao programa Horizonte 2020 e é o principal programa de financiamento da ciência, na Europa.

O que é a Fundação Oceano Azul?

Nasceu em 2017, com o objetivo de promover um oceano mais saudável e produtivo através de três principais áreas de ação: literacia, conservação e capacitação, sob o mote "From the ocean"s point of view". Com sede em Portugal, trabalha para o desenvolvimento de uma geração azul, uma nova economia azul e para posicionar o país como líder internacional em questões relacionadas com o oceano. Tem alcance internacional, através de projetos desenvolvidos com outros países, fundações e organizações da sociedade civil, bem como organizações intergovernamentais, como as Nações Unidas e a União Europeia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG