Sobrevivente de cancro atravessa Canal da Mancha a nado quatro vezes sem parar

Norte-americana de 37 anos faz travessia do Canal da Mancha por quatro vezes e sempre a nadar. Figuras da natação consideram o feito extraordinário, um teste à resistência humana.

Sarah Thomas, nadadora norte-americana de maratonas em águas abertas, completou na manhã desta terça-feira, pelas 6:30, a quarta travessia a nado do Canal da Mancha, 54 horas depois de partir do porto britânico de Dover. É o primeiro ser humano a cruzar o canal quatro vezes sem parar.

Thomas tem 37 anos e é natural do Colorado. É uma sobrevivente de cancro - concluiu os tratamentos em 2018 - e dedicou o feito a "todos os sobreviventes de cancro que andam por aí" e a todos os que iniciaram sua "jornada contra o cancro.

No final, comemorou com chocolates e champanhe. "Não consigo acreditar que fizemos isto", referiu à chegada.

Para Thomas a parte mais difícil deste desafio foi lidar com a água salgada, porque quanto ao resto ela sabia o que a esperava. "Estava bem preparada para as correntes, para o clima e para o frio, bem como para a quantidade de tempo que teria de permanecer dentro água".

Durante as 54 horas de atividade -- percorrendo um total de 209 km, dadas as correntes que a cada travessia a empurravam para fora do rumo mais direto -- Sarah Thomas alimentou-se com uma bebida de proteínas, eletrólitos e cafeína que a cada 30 minutos lhe era passada pelo barco de apoio, onde seguia a sua mãe.

Esta conquista de Sarah Thomas acontece precisamente um ano depois de ter terminado tratamento para o cancro da mama. Antes da travessia, Sarah admitia no Facebook estar "assustada", mas que estava à espera deste banho "há mais de dois anos. Lutei muito para chegar aqui". "Estou a 100%? Não. Mas estou o melhor que posso estar agora e depois do que passei.

Estou com mais vontade do que nunca". Acrescentando: "Espero não vos dececionar depois de tudo isto! Apenas vos peço que aumentem o volume para bem alto quando gritarem por mim, vou precisar de toda a ajuda que puder obter".

A conquista de Sarah Thomas já suscitou elogios das principais figuras do mundo da natação. Lewis Pugh, uma nadadora de endurance, mais conhecida por dar o primeiro mergulho no Polo Norte, descreveu o feito de Sarah como "extraordinário e incrível". "Quando pensamos que atingimos o limite da resistência humana, alguém quebra os recordes", escreveu no Twitter. "Parabéns para Sarah Thomas por nadar no canal inglês por quatro vezes sem parar".

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.