Ratos estão a infetar pessoas com hepatite. E ninguém sabe como

A transmissão da estirpe da hepatite E dos ratos para humanos é ainda um mistério para os cientistas. Já há mais de dez casos relatados em Hong Kong.

Uma nova estirpe do vírus da hepatite E, que normalmente apenas infeta ratos, está a atingir as pessoas em Hong Kong, com perto de uma dúzia de casos humanos relatados até agora. Há respostas que ainda são desconhecidas: como o vírus passa dos ratos para as pessoas permanece um mistério.

O primeiro caso de um vírus humano contraído da hepatite E de rato, ou HEV de rato, foi relatado em Hong Kong em 2018. Desde então, mais 10 pessoas na área testaram positivo para HEV de rato. O caso mais recente foi relatado em 30 de abril, afetando um homem de 61 anos que foi hospitalizado com função hepática anormal, informou a CNN.

Apesar das investigações em curso, os cientistas ainda não sabem como as pessoas estão a ser infetadas. O caso mais recente é particularmente desconcertante porque não foram vistos ratos ou fezes de ratos na casa do homem de 61 anos, que não tinha viajado recentemente.

As hipóteses levantadas passam por ser possível que as pessoas sejam infetadas pela ingestão de comida ou água contaminada com fezes de roedores ou pelo manuseamento de objetos contaminados. Mas são apenas teorias, ainda não comprovadas. Também pode haver um animal intermediário envolvido na transmissão.

"O que sabemos é que os ratos em Hong Kong carregam o vírus, testamos os humanos e encontramos o vírus. Mas exatamente como se transmite - se os ratos contaminam a comida ou se há outro animal envolvido - não sabemos", disse à CNN Siddharth Sridhar, microbiologista da Universidade de Hong Kong e um dos investigadores que descobriram o HEV de ratos em pessoas.

A hepatite é uma inflamação do fígado e a hepatite E é uma infeção hepática causada pelo vírus da hepatite E, de acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças. A estirpe humana da hepatite E é geralmente transmitida através de água contaminada por fezes humanas infetadas, e as infeções são mais comuns nos países em desenvolvimento, informa a Organização Mundial de Saúde.

Os sintomas podem incluir febre, náusea, vómitos e dores nas articulações. Muitas pessoas com a infeção apresentam sintomas ligeiros ou são assintomáticas, mas a doença pode ser mais grave para pessoas com sistema imunológico fraco. As complicações são raras, mas a doença pode causar insuficiência hepática.

Fora de Hong Kong, o único outro caso relatado de HEV contraído de rato ocorreu no Canadá em 2019, num homem que tinha viajado recentemente a África, segundo a CNN.

É provável que a doença esteja a ocorrer noutros países, mas não tem sido reconhecida porque não estão a ser realizados testes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG