Os anéis de Saturno como nunca os viu

Brilhantes, na sua natureza gelada, os anéis de Saturno foram captados pelo Hubble quando estavam virados para a Terra. É o mais recente retrato de pormenor do planeta dos anéis.

O momento não podia ser desperdiçado. Em 20 junho Saturno passou no ponto mais próximo da Terra na sua órbita em torno do Sol, a um milhão e 360 mil quilómetros de distância, e os astrónomos não deixaram escapar a oportunidade. Apontaram a câmara Wide Field 3 com a qual o telescópio Hubble está equipado para fazer fotografias de alta resolução e fizeram o mais recente retrato do sexto planeta do sistema solar, que tem a particularidade de revelar os famosos anéis em todo o seu esplendor, que estavam nessa altura voltados para a Terra.

A imagem, captada em junho, foi agora divulgada.

Desde que foi lançado para a órbita da Terra, há quase 30 anos - cumprem-se em abril do próximo ano - o telescópio espacial deu um novo impulso à astronomia: fez as primeiras imagens de exoplanetas em torno de outras estrelas, desvendou inúmeros objetos distantes, como as primeiras galáxias que se formaram no universo, e permitiu igualmente um novo olhar sobre os outros planetas do sistema solar, levando por exemplo à descoberta de novas luas em torno de Plutão.

Descobertos em 1655 pelo astrónomo holandês Christiaan Huygens - ele supôs que se tratava de um único anel - os anéis de Saturno, que se sabe hoje serem formados por partículas de poeira e gelo, surgem nesta imagem com o brilho que revela a sua natureza gelada.

Apesar de familiaridade com que contemplamos hoje aquela magnífica estrutura em redor Saturno, e apesar de todos os estudos e investigações, a sua formação continua a ser ainda hoje um quebra-cabeças para os astrónomos.

Os modelos teóricos propõem que as partículas de gelo e poeiras se agregaram naquela impressionante estrutura durante a formação do sistema solar, mas as observações feitas pela Cassini já neste milénio - a sonda da NASA e da ESA esteve na órbita do planeta entre julho de 2004 e setembro de 2017 -, revelaram que os anéis são afinal mais recentes, podendo ter resultado da uma eventual colisão entre Júpiter e outro corpo gigante.

A descoberta adensou o mistério, impedindo um consenso científico. Consensual, no entanto, permanece a beleza de Saturno com os seus anéis, que a mais recente imagem captada pelo telescópio espacial Hubble de novo confirma.

Exclusivos