O chumbo é o metal que mais contamina as hortas urbanas, afirma investigadora de Aveiro

Serão as hortas urbanas seguras? E como saber se os seus solos estão contaminados? A bióloga Sónia Rodrigues procurou as respostas, estudando fontes de poluição atmosférica, associadas ao tráfego automóvel. Toda a história - e muitas outras - contadas no podcast Ciência com Impacto.

No trabalho realizado sobre hortas urbanas, a norte do Porto, o grande contaminante que surgiu foi o chumbo - um legado da gasolina com chumbo, banida há décadas, mas que ainda persiste acumulado nos solos urbanos.

Apesar da presença de metais pesados, o estudo veio revelar que a transferência dos contaminantes para os produtos vegetais não é automática. Só uma pequena fração é transferida para as plantas e nem todas as espécies a absorvem nas mesmas quantidades. "O ph e o composto orgânico que existe no solo podem diminuir, também, a potencial contaminação", explica a investigadora.

A contaminação dos solos não se limita às cidades. O uso e abuso de nanomateriais em produtos do quotidiano, que acabam por ser disseminados nos meios terrestre e aquático, são os novos contaminantes, cuja perigosidade se começa agora a desvendar. Mas a nanotecnologia também tem as suas vantagens - podendo ser usada na produção sustentável de alimentos. Veja como na Ciência com Impacto.

Clique aqui para ouvir ou ver o podcast.

Um conteúdo DN / Ciência com Impacto

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG