Nova Zelândia. 145 baleias-piloto mortas numa praia da Ilha Stewart

O alerta foi dado na noite de sábado e quando as autoridades chegaram ao local metade das baleias já estavam mortas

A sul da Nova Zelândia, 145 baleias-piloto deram à costa na Ilha de Stewart, na Baía de Mason. O Departamento de Conservação da Nova Zelândia recebeu o alerta na noite de sábado, mas quando as autoridades chegaram ao local metade dos animais já estavam mortos e os restantes tiveram de ser abatidos.

O grupo de baleias-piloto deu à costa numa praia remota da Ilha de Stewart. Numa extensão de cerca de dois quilómetros, as 145 baleias foram encontradas pelos elementos do Departamento de Conservação da Nova Zelândia que tiveram de tomar uma decisão difícil em relação aos animais que apresentavam sinais de vida.

"Infelizmente, a probabilidade de voltar a pôr as baleias a flutuar com sucesso era extremamente baixa", explicou Ren Leppens, responsável de operações do Departamento de Conservação em comunicado. "A localização remota, a falta de pessoal próximo e a deterioração das baleias indicavam que a coisa mais humana a fazer era a eutanásia", esclareceu ainda, sem esconder que foi uma decisão de "partir o coração".

Doença, características geográficas específicas, mudanças repentinas da maré, perseguição por predadores ou condições meteorológicas extremas são algumas das causas que podem estar na origem deste fenómeno, adianta a nota do Departamento de Conservação. O documento refere ainda que é comum mamíferos darem à costa na Nova Zelândia. O Departamento de Conservação responde a uma média de 85 incidentes por ano, a maioria referente a um animal.

Depois de ter sido encontrado o grupo de baleias-piloto, no domingo 10 baleias-anãs ficaram presas na praia 90 Mile. Duas acabaram por morrer. Já na sexta-feira, um cachalote foi encontrado encalhado em Doubtful Bay, na península de Karikari, acabando por não resistir.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG