Nova Iorque vai proibir cigarros eletrónicos com sabor

Será o segundo estado norte-americano, depois de Michigan, a aprovar esta medida, depois de cerca de 400 pessoas terem sido diagnosticadas com doenças nos pulmões e seis terem morrido em todo o país.

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, anunciou este domingo que vai proibir todos os cigarros eletrónicos com sabor, exceto os de tabaco e mentol, numa resposta ao aumento de doenças de pulmões nos EUA que as autoridades de saúde ligaram ao consumo destes produtos.

Andrew Cuomo considera que o uso de cigarros eletrónicos com sabores de fruta ou doces estão a levar os jovens a viciarem-se em nicotina.

"Estes têm obviamente como alvo os jovens e são altamente bem-sucedidos", disse o governador democrata numa conferência de imprensa em Manhattan.

Cerca de 400 pessoas nos EUA foram afetadas com doenças dos pulmões que as autoridades de saúde acreditam estar ligado aos cigarros eletrónicos. Seis morreram.

Os investigadores estão ainda a tentar perceber as causas da doença. Entretanto, as autoridades de saúde alertaram as pessoas contra a compra destes cigarros eletrónicos nas ruas ou óleo derivado da canábis. Dizem que as pessoas devem evitar inalar acetato de vitamina E, um ingrediente encontrado em alguns destes produtos.

Em Nova Iorque, o comissário da saúde, Howard Zucker, vai formalmente proibir os cigarros eletrónicos com sabor durante uma reunião esta semana.

Nova Iorque será o segundo estado do país a introduzir tal proibição. Michigan já o fez no início do mês. Na quarta-feira, a administração de Donald Trump anunciou os planos para remover todos os cigarros eletrónicos das lojas.


As vendas de cigarros eletrónicos são proibidas em Nova Iorque a menores de 18 anos, devendo esse limite de idade subir para 21 anos em novembro. Cuomo disse que deu ordens à polícia para aumentar a vigilância sobre as vendas a menores.