MSC carga e Ryanair entre os dez mais poluentes da UE

Companhia aérea low-cost entrou para a lista em abril; agora é a MSC que se junta a um ranking onde as centrais de carvão ainda lideram as emissões de carbono.

O transporte dos seus presentes de Natal está a contribuir para um mundo pior. O alerta é feito pela Federação Europeia para o Transporte e Ambiente (T&E) e chega mesmo em cima da quadra natalícia. Depois de dizer que a Ryanair é "o carvão" da Europa, pelos 9,9 milhões de toneladas de CO2 que liberta, a organização pró-ambiente centra agora atenção na poluição causada pelos navios de carga.

Numa análise às emissões de carbono de 2018, a T&E refere que há oito centrais de produção de energia a carvão entre as mais poluentes da UE, a que se juntam a Ryanair - que entrou em abril para esta lista - e, uma estreia, a MSC que detém navios de carga, que se dedicam ao transporte de alimentos, material eletrónico ou, até, presentes de Natal. A MSC está em oitava posição; a Ryanair fecha o ranking.

"Um operador de carga juntou-se à Ryanair na lista da UE dos dez maiores emissores de carbono, mostram dados oficiais. A frota de carga da Mediterranean Shipping Company (MSC) que move bens de consumo, componentes eletrónicos, fruta fresca, roupas ou brinquedos, foi responsável por 11 milhões de toneladas de emissões de CO2 em 2018".

A análise feita por esta entidade mostra ainda que os navios que entram e saem da Europa emitiram mais de 139 milhões de toneladas de CO2 no ano passado. Isto é, "se os navios fossem um país seriam o oitavo maior poluente da UE depois da Holanda".

A organização assinala que os setores com menos regulação são os maiores responsáveis por emissões poluentes e assume que "os navios são o único setor sem medidas de redução de emissões na UE e que ainda não pagam pelas suas emissões poluentes".

"Uma empresa de que os consumidores nunca ouviram falar juntou-se ao top 10 dos mais poluentes. Esta indústria não paga um cêntimo pelas suas emissões e a UE ainda não fez nada para inverter os estragos. O comércio europeu não tem de ser 'sujo' só porque os líderes negligenciaram a 'limpeza' no setor dos navios'", nota Faig Abbason, gestor da T&E.

A poluição causada pelos navios de carga num ano é maior do que a poluição gerada pelos carros que circulam nas 10 maiores cidades francesas e no Leste da Europa juntos. As emissões dos navios associados a Holanda, Bélgica, Noruega, Letónia e Estónia em 2018 foram maiores do que o CO2 do total de carros a circular nestes países. Não é só: em países como França, Noruega ou Letónia mais de um terço do total de emissões marítimas de cada país são associadas a navios de carga.

Os alertas vão no sentido de se estabelecer um fundo climático marítimo europeu para garantir que o setor é responsável pelas emissões que liberta.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG