Um Ig Nobel para Portugal: a saliva é boa para limpar superfícies sujas

O estudo "Saliva humana como agente de limpeza para superfícies sujas" valeu o prémio da Química para investigadores portugueses.

A prática muito antiga de cuspir para limpar determinadas superfícies tem finalmente um respaldo científico, que valeu a três investigadores portugueses o prémio Ig Nobel da Química.

Num artigo publicado no Journal Studies in Conservation, Paula M. S. Romão, Adília M. Alarcão e César A. N. Viana analisaram a "saliva humana como agente de limpeza para superfícies sujas". Nesse texto, os três cientistas portugueses defendem, de acordo com o resumo do estudo, que "o uso de saliva humana para limpar superfícies sujas tem sido uma prática intuitiva para muitas gerações".

"Os autores", adianta o resumo, "estabeleceram as bases científicas para essa prática por meio de testes qualitativos e técnicas cromatográficas". Para o efeito, "o alfa-amilase [α-amylasewas] foi o constituinte principal responsável pelo poder de limpeza da saliva e, portanto, as preparações amilásicas obtidas a partir do pão ou de microrganismos foram testadas como substitutos da saliva."

Os prémios Ig Nobel são uma paródia aos verdadeiros prémios Nobel da Academia Sueca e destinam-se a celebrar o incomum, a honrar a imaginação e a estimular o interesse das pessoas pela ciência, medicina e tecnologia. Estes prémios alternativos são atribuídos anualmente pelos Annals of Improbable Research e entregues na Universidade de Harvard.

Na Medicina, foi premiado um estudo americano que procurou demonstrar que andar em alguns tipos de montanha-russa é uma maneira eficaz de remover pedras nos rins e, no campo da Nutrição, outro estudo provou que a dieta canibal não é a melhor opção em termos calóricos.

Outro premiado foi o gastroenterologista japonês Akira Horiuchi que ganhou o prémio de Educação Médica para uma experiência na qual o próprio revê o conforto e a eficiência da autocolonoscopia em posição sentada, realizando uma colonoscopia em si próprio enquanto fica sentado. Horiuchi relatou apenas um "desconforto leve".

A lista completa dos premiados foi disponibilizada pela revista Science. Coisa séria.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...