Super lua. Hoje ela nasce maior e mais brilhante no céu

Mais próximo da Terra, na sua órbita elíptica, e em fase de Lua cheia, o astro vai surgir hoje 14% maior e 30% mais brilhante do que geralmente acontece. É a super Lua, um fenómeno cíclico, que este ano só se repete mais uma vez

Luminosa, cheia, e cheia de esplendor. Será assim a super Lua de hoje, a mais vistosa das três que se podem observar em 2019, todas seguidas nos primeiros três meses do ano - a primeira já foi, a 20 de janeiro, e a terceira, a completar o ciclo, ocorre já no próximo mês de março, no dia 20.

Vamos à de hoje. Com previsões de céu limpo, o espetáculo da super Lua, com início marcado para as 18.17 exatas (em Lisboa), momento em que o astro se ergue do horizonte, promete encantar quem se dispuser a olhá-lo nalgum momento da noite - a Lua só se põe amanhã, ao nascer do dia, quando forem 7.25.

A melhor altura para fazer a observação, no entanto, é ao crepúsculo, logo a partir do momento em que a Lua nasce, porque é nessa altura que ela estará ainda muito perto do perigeu, o ponto da sua órbita mais próximo da Terra, como assinala o Observatório Astronómico de Lisboa, na sua página da Internet.

É essa coincidência da fase de lua cheia e da maior proximidade da Terra, a pouco mais de 356.761 km de distância, que define a super Lua, que é um o fenómeno cíclico. A órbita da Lua, em forma de elipse, está na origem da distância variável a que ela se encontra da Terra, na sua viagem através do espaço.

As super luas ocorrem quando a fase de lua cheia coincide com a passagem da Lua, na sua órbita de 27,32 dias em torno da Terra, no ponto mais próximo entre os dois astros. Nestas ocasiões o disco lunar surge maior no céu. O contrário também é verdade: quando a lua cheia ocorre na passagem do ponto mais distante da Terra, o apogeu, o disco lunar surge também um pouco mais pequeno no céu

Hoje dá-se o primeiro caso: o astro surge maior e mais brilhante no céu. E esta super lua é a mais espetacular das três deste ano, porque é aquela em que a Lua se torna visível mais rapidamente após ter atingido o perigeu - apenas 6 horas e 51 minutos depois. Por isso ela vai surgir 14% maior e 30% mais brilhante do geralmente acontece em noites de lua cheia. Preparem-se, é já daqui a pouco.

Exclusivos