Roubados dados de 29 milhões de utilizadores do Facebook

Ataque de há duas semanas acabou por atingir menos utilizadores do que inicialmente estimado. Empresa tinha falado de 50 milhões de contas pirateadas.

O Facebook explicou esta sexta-feira que cerca de 30 milhões de utilizadores viram as suas contas pirateadas no ataque de há duas semanas. Inicialmente a empresa tinha admitido que seriam 50 milhões os utilizadores afetados, mas acabaram por rever os números em baixa.

Num comunicado divulgado esta sexta-feira, o Facebook explica como aconteceu o ataque. "Os atacantes exploraram uma vulnerabilidade que existiu no código do Facebook entre julho de 2017 e setembro de 2018." Os responsáveis acabariam por determinar que a rede social tinha sido alvo de um ataque e, garantem, começaram imediatamente a resolver o problema e a colaborar com o FBI.

"Dos 50 milhões de utilizadores cujos geradores de palavras passes acreditamos que tenham sido afetados, cerca de 30 milhões viram de facto esse token roubado. Através de uma rede de amigos que os atacantes tinham, cerca de 400 mil, conseguiram roubar informação a cerca de 30 milhões de pessoas. Para 15 milhões, os piratas informáticos acederam ao nome e detalhes de contacto (email e telefone). Para 14 milhões dos utilizadores atacados além dessa informação de nome e contactos, os hackers conseguiram ainda saber o usermane, género, localidade, estado civil, religião, local de nascimento, cidade onde se mora, pessoas e páginas que seguem e as 15 pesquisas mais recentes. Para um milhão de utilizadores, os atacantes não acederam a nenhuma informação, explica a nota do Facebook.

Os utilizadores podem saber se foram ou não afetados acedendo ao Centro de Ajuda da página. Além disso, os 30 milhões de utilizadores receberão mensagens personalizadas nos próximos dias.

Exclusivos