O último adeus do Philae. Veja a derradeira foto da pequena sonda europeia

O pequeno explorador pioneiro da agência espacial europeia ESA lança um derradeiro aceno, aqui visto pela nave-mãe Rosetta, antes de ela própria ter terminado a missão, despenhando-se no cometa 67P

A ESA divulgou agora esta imagem, a última do pequeno Philae no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, onde o módulo pousou em novembro de 2014, no que foi a primeira aterragem de um engenho humano num cometa.

Nesta foto, que foi captada pela nave Rosetta antes de ela própria se ter despenhado no cometa 67P, em 30 de setembro de 2016 , no final da missão, vê-se a ponta de um pés do Philae, como que num últimos adeus.

Numa aterragem dramática, o pequeno explorador da ESA tombou de lado - soube-se depois que o arpão que deveria tê-lo segurado ao solo no momento do impacto não funcionou. Ainda assim, e mesmo sem os controladores da missão conhecerem exatamente a localização do Philae, ele conseguiu cumprir 80% da sua missão, enviando os dados que recolheu no solo do cometa durante algumas horas, antes de entrar em hibernação por falta de energia.

Só muito mais tarde, já em 2016, apenas algumas semanas antes do fim da sua missão, a nave Rosetta conseguiu finalmente descobrir a localização do Philae, que ficou tombado num recanto escuro do rugoso cometa - como mostra imagem.

Esta é uma das últimas imagens captadas pela câmara OSIRIS da nave Rosetta, que fez uma série de fotografias da superfície do cometa 67P, mostrando pela primeira vez de perto a realidade destes estranhos objetos espaciais que viajam através do sistema solar. Com ela, e muitas outras, que podem ser vistas no video em cima, a ESA concluíu o arquivo de imagens da missão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.