Movimento Portugal Ativo lança campanha para que os portugueses façam exercício

Criado pela Associação de Empresas de Ginásios e Academias de Portugal, o movimento quer menos sedentarismo, mais saúde. mais movimento e "alterar mentalidades"

"Começa por Começar" é o nome da campanha apresentada esta quinta-feira no Museu Nacional do Desporto em Lisboa, e que começa em setembro. Pelas mãos do Movimento Portugal Ativo, o objetivo da campanha é colocar os portugueses a fazer exercício, a mexerem-se e a serem menos sedentários.

O movimento, numa nota enviada às redações, alerta para o facto de Portugal ter apresentado números preocupantes no Eurobarómetro da Atividade Física 2017: 68% dos portugueses não faz qualquer tipo de exercício físico, número que coloca Portugal no último lugar do ranking, juntamente com Malta e Grécia. Relativamente ao último relatório, que data de 2013, Portugal apresentou mais 4% de inatividade da população, sendo que a média europeia é de 42%.

O Movimento Portugal Ativo, que quer sensibilizar a população nacional para a importância da atividade física na saúde, referindo também a importância da mesma na subida dos índices de saúde e na redução do gasto de recursos humanos e financeiros do SNS, foi criado pela Associação de Empresas de Ginásios e Academias de Portugal (AGAP). De referir que o movimento conta com várias personalidades, de várias áreas: da política à televisão, do humor às redes sociais e, claro, atletas.

Existe ainda um plano de ações como, por exemplo, uma Maratona de Bikes, e a criação do Dia Nacional Portugal Ativo e do Dia do Fato de Treino. A Maratona de Bikes acontecerá dia 23 de setembro, no Padrão dos Descobrimenos e contará com mais de 3 mil participantes. O objetivo é que sejam mantidas sempre em atividade as 600 bicicletas indoor ao dispor nesse dia, que marca o início da Semana Europeia do Desporto.

Melhorar o ADN... Ativdade, Descanso e Nutrição

O Movimento Portugal Ativo sublinha que "Portugal tem que alterar as mentalidades" e "fazer aumentar drasticamente o número de pessoas ativas". Refere ainda que é importante "tornar os clubes de fitness e saúde mais acessíveis", sendo que a "frequência dos mesmos está intimamente ligada à prevenção da doença e promoção da saúde". Alerta também para o facto de ir para um ginásio não ser uma "despesa, mas sim um investimento na saúde".

Alertando também para níveis de inatividade e obesidade jovem "alarmantes e que se agravam de ano para ano", o movimento propõe-se ainda, até 2020, a atingir "a fasquia de um milhão de praticantes de atividade física acompanhada, contribuindo para a meta europeia de 80 milhões de praticantes até 2025".

Todos os pequenos passos são importantes para que Portugal possa "melhorar o seu ADN - Atividade, Descanso e Nutrição".

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.