Manuais escolares para 500 mil alunos disponíveis a partir na plataforma MEGA

A distribuição de livros, novos ou usados, começa esta quarta-feira e destina-se aos estudantes do 1.º ao 6.º ano

Os manuais escolares gratuitos, novos ou usados, começam a ser distribuídos a partir desta quarta-feira através da plataforma MEGA aos cerca de 500 mil alunos do 1.º ao 6.º ano.

Na plataforma estarão manuais escolares utilizados no ano letivo que agora terminou, mas também livros novos, que podem ser utilizados por famílias, escolas e livreiros.

A plataforma "MEGA - Manuais Escolares GrAtuitos" está preparada para atribuir um voucher a cada um dos cerca de 500 mil alunos que frequentam escolas públicas e por isso têm direito a livros gratuitos.

As escolas vão introduzir na plataforma informações relativas aos manuais que, no final do ano letivo, foram devolvidos pelos alunos depois de usados.

Em declarações recentes à Lusa, Miguel Farrajota, do Instituto de Gestão Financeira de Educação (IGeFE), disse que a "percentagem de reutilização" de manuais escolares é "muito aceitável", e disse que a distribuição pela plataforma dos manuais usados será feita de forma aleatória

Através do site manuaisescolares.pt, os encarregados de educação acedem à plataforma que lhes atribuirá um 'voucher' para adquirir os manuais nas livrarias que pretendam -- desde que estas também estejam inscritas na plataforma.

A plataforma deverá estar ativa até ao final de outubro, para garantir que não ficam de fora alunos que mudam de escola após o arranque do ano letivo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.