Instagram desenvolve aplicação dedicada ao comércio eletrónico

Em breve será possível fazer compras sem sair da plataforma

O Instagram está a trabalhar numa aplicação que irá permitir aos utilizadores fazerem compras diretamente na rede social. Segundo o The Verge , ainda não há data prevista para o seu lançamento, mas sabe-se que poderá vir a ser denominada IG Shopping.

Em novembro de 2016 a rede social começou a testar uma funcionalidade semelhante, que possibilita a aquisição de produtos através das publicações dos anunciantes e das marcas.

Anteriormente têm sido desenvolvidas para os anunciantes do Instagram ferramentas como o Four Sixty, através do qual as empresas podem pagar para criar galerias de fotos, moderar e agendar conteúdos, entre outras funcionalidades, e o Shopify, com plugins que facilitam a promoção e gestão de negócios baseados na plataforma.

De acordo com a diretora de operações do Facebook Sheryl Sandberg, atualmente o Instagram conta com 25 milhões de contas ligadas a empresas, sendo 2 milhões de anunciantes. Por outro lado, quatro em cada cinco utilizadores seguem negócios, pelo que o desenvolvimento de uma aplicação independente vai facilitar o comércio eletrónico e gerar receitas tanto para as empresas como para a rede social.

No passado a marca já tinha desenvolvido aplicações independentes para os seus serviços, como é o caso da aplicação de mensagens Direct ou o IGTV, um rival do YouTube.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.