Índia fracassa na missão de se tornar o quarto país a chegar à lua

Sonda Vikram terá embatido na lua na altura da aterragem. Comunicação foi perdida a dois quilómetros da aterragem.

A Índia fracassou na tentativa de se tornar se tornar no quarto país depois dos Estados Unidos, Rússia e China a pousar na lua. Esta sexta-feira, os cientistas indianos perderam o contacto com a sonda lunar Chandrayaan-2. A cara de desilusão do presidente indiano Narendra Modi ao abandonar a sala de controlo dizia tudo. Mas ainda não são oficialmente conhecidas as razões do fracasso.

"É possível que a sonda tenha pousado numa posição desfavorável e a antena tenha ficado inclinada, sem comunicação com a sonda em órbita, que envia os sinais para a Terra", explicou Cássio Barbosa, astrónomo em declarações ao jornal brasileiro Globo. "A outra possibilidade é que o motor de descida tenha registado alguma falha nos momentos finais. Nesse caso, o módulo colide com a superfície lunar e desintegra-se devido à alta velocidade", acrescentou o especialista.

Os cientistas da ISRO acompanhavam a missão na sede da agência espacial quando o sinal foi perdido, a poucos minutos do horário previsto para a aterragem. "A descida do módulo Vikram estava normal até uma altitude de 2.1 km. Mas perdemos a comunicação. Os dados estão a ser analisados", disse Kailasavadivoo Siva, responsável pela ISRO.

O primeiro-ministro indiano também acompanhou a expedição na sede da agência espacial. "A Índia está orgulhosa dos seus cientistas. Deram o seu melhor e orgulharam o país. Vamos continuar a trabalhar no nosso programa espacial", disse Modi.

O objetivo da missão era obter mais informações sobre a composição mineral da lua e eventual presença de água. O contacto com a base foi perdido cerca de 20 minutos depois de iniciado o procedimento de aterragem suave.