'Spray' nasal para tratamento da depressão grave aprovado nos EUA

O medicamento vai ser vendido nos EUA e só pode ser tomado sob supervisão médica

As autoridades de saúde norte-americanas aprovaram o lançamento de um novo antidepressivo, apresentado como revolucionário no tratamento da depressão grave, e que será comercializado sob a forma de 'spray' nasal.

Na terça-feira, a agência reguladora do medicamento dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), deu 'luz verde' à venda de escetamina, "prima química" da cetamina, há muito estudada para o tratamento da depressão.

O novo medicamento vai ser vendido nos Estados Unidos sob o nome de Spravato, produzido pelo laboratório Janssen, que agrupa as atividades farmacêuticas da Johnson & Johnson, e só pode ser tomado sob supervisão médica, devido aos possíveis efeitos colaterais.

'Spray nasal' apresenta beneficíos a "adultos com depressão resistente ao tratamento"

Os ensaios clínicos incluíram pacientes com depressão resistente a tratamentos convencionais.

Segundo especialistas, o último grande desenvolvimento no tratamento da depressão foi há cerca de 30 anos, quando a fluoxetina, inicialmente comercializada com o nome "Prozac", foi lançada no mercado.

"A nossa ampla investigação sobre o 'spray' nasal de escetamina demonstrou um perfil positivo de risco-benefício para adultos com depressão resistente ao tratamento", defendeu o responsável pelas terapias no domínio das neurociências da Janssen, Husseini K. Manji.

300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indicou que cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão, uma doença que limita severamente a capacidade de levar uma vida diária normal, mas cuja gravidade é muitas vezes subestimada ou confundida com depressão temporária.

Os casos mais graves podem levar ao suicídio, de acordo com a OMS.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.