Estudo revela que paracetamol pode reduzir empatia

O paracetamol, ou acetaminofeno, é um medicamento analgésico e antipirético, usado para combater dores musculares e para reduzir a febre. Não precisa de prescrição médica e é um dos mais usados a nível mundial.

"Empatia (do gregro empátheia, paixão). Forma de identificação intelectual ou afetiva de um sujeito com uma pessoa, uma ideia ou uma coisa", lê-se no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Um sentimento que, segundo um estudo de um professor da Universidade de Ohio, pode ser reduzido pela toma de paracetamol, também conhecido como acetaminofeno, um medicamento analgésico e antipirético que é dos mais usados a nível mundial.

No estudo do professor Dominik Mischkowski, apelidado "Um analgésico social? Acetaminofeno (Paracetamol) reduz a empatia positiva", participaram 114 pessoas. Estes receberam mil miligramas de paracetamol ou um placebo, num estudo duplo-cego, no qual nem os participantes nem os coordenadores sabiam quem estava a receber o quê.

Ao final de uma hora, os participantes leram quatro cenários diferentes, a envolver sempre um homem e uma mulher, usados para induzir empatia positiva: um pedido de casamento que é aceite; um convite para um encontro depois de meses de indecisão que também tem um resultado positivo; uma mulher que trabalhou muito para conseguir um emprego que lhe permite cuidar do filho e recebe a indicação que vai receber um aumento; uma artista que vai ter pela primeira vez um concerto a solo e tem o pai na primeira fila, que depois lhe diz que está orgulhoso dela.

Em cada um dos cenários, os participantes no estudo tiveram que dizer quão positivo consideravam cada um desses cenários, o prazer que cada um dos personagens devia estar a sair, quanto prazer eles próprios sentiam ao ler os cenários e quanta empatia tinham por aquelas pessoas.

As conclusões mostram que o paracetamol reduziu o prazer pessoal e o sentimento de empatia, mas não teve qualquer efeito na perceção de prazer ou na positividade.

"Ainda fico surpreendido com os efeitos psicológicos marcantes de um analgésico tão comum como o acetaminofeno", disse o autor do estudo, citado num comunicado publicado pela Universidade de Ohio. Esta não é a primeira vez que Mischkowki estuda os efeitos do paracetamol, tendo em 2016 estudado como a redução da resposta à dor de uma pessoa através deste medicamento, também reduzia a resposta à dor dos outros.

"Tendo em conta que se estima que um quarto de todos os americanos adultos consome um medicamento que contem acetaminofeno todas as semanas, este estudo é muito importante", indicou. O paracetamol é analgésico e antipirético, usado para combater dores musculares e dores leves, assim como baixar a febre. Não precisa de prescrição médica.

Exclusivos