Almodovar e Deneuve entre as centenas de artistas que lançam apelo para salvar planeta

O apelo responde a um repto da atriz francesa Juliette Binoche e do astrofísico francês Aurélien Barrau. "Estamos a viver um cataclismo planetário", defende o grupo de artistas que evoca as alterações climáticas

Duas centenas de personalidades do mundo das artes, entre as quais o realizador espanhol Pedro Almodovar, os atores franceses Alain Delon e Catherine Deneuve e a cantora americana Patty Smith, lançaram esta segunda-feira um apelo para salvar o planeta.

"Estamos a viver um cataclismo planetário", defendem os signatários de um artigo no jornal Le Monde, evocando as alterações climáticas que se estão a registar com mais frequência e a redução da biodiversidade em todo o planeta.

"Perante o maior desafio da história da humanidade, o poder político deve agir com firmeza e imediatamente"

"É demasiado tarde para não fazer nada: o colapso está a acontecer", sublinha o grupo de artistas, no qual se incluem atores, cantores, jornalistas, escritores e fotógrafos, acrescentando que "ainda não é tarde para evitar o pior".

"Perante o maior desafio da história da humanidade, o poder político deve agir com firmeza e imediatamente", exige o grupo, acrescentando que "está na altura de se ser sério".

O apelo, que responde a um repto da atriz francesa Juliette Binoche e do astrofísico francês Aurélien Barrau, foi lançado alguns dias após a demissão de surpresa do ministro francês da Transição Ecológica, Nicolas Hulot, que explicou a decisão com a falta de progressos no domínio do ambiente.

"Consideramos que um Governo que não faz por salvar o que ainda pode ser salvo não pode ser levado a sério", defendem os signatários do artigo, na véspera do anúncio do nome do sucessor de Nicolas Hulot.

"Propomos a escolha de um político -- que nada tenha a ver com 'lobbies' -- com medidas potencialmente impopulares, mas que tenham resultados", defendem.

Entre as personalidades que assinaram o apelo contam-se ainda os atores Jude Law, Isabella Rossellini e Isabelle Adjani e os realizadores Wim Wenders, David Cronenberg, Olivier Assayas e Ivo Van Hove, além da cantora Marianne Faithfull e da escritora Sophie Calle.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.