Disparam os pedidos de apoio para a compra de carros elétricos

Do início do ano até hoje, Fundo Ambiental do governo recebeu 1244 candidaturas para compra de veículos elétricos. É mais 50% do que no ano passado.

A compra de veículos elétricos em Portugal soma e segue - e os pedidos de apoio à comparticipação do Fundo Ambiental também. No primeiro ano em que o governo alargou as candidaturas às motorizadas e às bicicletas elétricas, elas aumentaram 50 por cento em relação ao mesmo período de 2017.

Para os automóveis houve 1222 requerimentos - e 66 candidaturas foram excluídas por não cumprirem os requisitos do ministério do Ambiente. Nos motociclos e ciclomotores houve 22 pedidos, 20 dos quais aprovados.

Quem apostou na compra de um carro elétrico recebe 2250 euros de apoio, enquanto que no caso das duas rodas a comparticipação vai até 20 por cento do total da compra, num limite máximo de 400 euros.

Criado em 2016, o Fundo Ambiental disponibiliza verbas para reduzir os efeitos das alterações climáticas em Portugal. Um dos principais vetores é este programa de reconversão de frota automóvel dos combustíveis fósseis para os elétricos. As candidaturas continuam abertas para pessoas singulares (o governo dá apoio à aquisição de uma unidade) ou coletivas (num máximo de cinco unidades).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).