Disparam os pedidos de apoio para a compra de carros elétricos

Do início do ano até hoje, Fundo Ambiental do governo recebeu 1244 candidaturas para compra de veículos elétricos. É mais 50% do que no ano passado.

A compra de veículos elétricos em Portugal soma e segue - e os pedidos de apoio à comparticipação do Fundo Ambiental também. No primeiro ano em que o governo alargou as candidaturas às motorizadas e às bicicletas elétricas, elas aumentaram 50 por cento em relação ao mesmo período de 2017.

Para os automóveis houve 1222 requerimentos - e 66 candidaturas foram excluídas por não cumprirem os requisitos do ministério do Ambiente. Nos motociclos e ciclomotores houve 22 pedidos, 20 dos quais aprovados.

Quem apostou na compra de um carro elétrico recebe 2250 euros de apoio, enquanto que no caso das duas rodas a comparticipação vai até 20 por cento do total da compra, num limite máximo de 400 euros.

Criado em 2016, o Fundo Ambiental disponibiliza verbas para reduzir os efeitos das alterações climáticas em Portugal. Um dos principais vetores é este programa de reconversão de frota automóvel dos combustíveis fósseis para os elétricos. As candidaturas continuam abertas para pessoas singulares (o governo dá apoio à aquisição de uma unidade) ou coletivas (num máximo de cinco unidades).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.