Descoberto o barco naufragado mais antigo do mundo

Arqueólogos dizem que a embarcação de 23 metros está intacta no fundo do Mar Negro há mais de 2400 anos.

Arqueólogos descobriram, intacto, o que acreditam ser o mais antigo barco naufragado do mundo, no fundo do Mar Negro, onde parece ter permanecido inalterado por mais de 2 400 anos.

O navio, de 23 metros, provavelmente originário da Grécia, foi descoberto com o mastro, lemes e bancos dos remadores em perfeitas condições. A ausência de oxigénio terá contribuído para preservar os materiais.

"É algo que eu nunca teria acreditado ser possível", disse o professor Jon Adams, investigador principal do Projeto de Arqueologia Marítima do Mar Negro (MAP, na sigla inglesa).

Em sua opinião, a descoberta "vai mudar" a compreensão dos estudiosos sobre a construção naval e marítima no mundo antigo. Acredita-se que a embarcação tenha sido um navio comercial semelhante à que se vê numa peça de cerâmica grega também da mesma altura, pertencente ao Museu Britânico e conhecida como o "Vaso das Sereias".

Os investigadores dizem que vão deixar o navio no fundo do mar, embora lhe tenham retirado um pedaço para ser sujeito a testes de carbono na Universidade de Southampton, os quais comprovaram que este é o mais antigo barco naufragado alguma vez encontrado.

Os investigadores do MAP já descobriram mais de 60 destroços no fundo do Mar Negro, desde barcos cossacos do século XVII a barcos romanos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.