As novas Barbies têm próteses e andam de cadeira de rodas

As bonecas pertencem à linha Fashionistas da Barbie, que pretende ser mais inclusiva. Deverão estar à venda em junho deste ano.

Já existiam bonecas com diferentes tipos de corpos, tons de pele, estilos de penteados e roupas. Agora, a Mattel anunciou o lançamento de duas bonecas com deficiências físicas: uma anda de cadeira de rodas, a outra tem uma prótese numa das pernas. Dois novos modelos que deverão estar à venda em junho de 2019.

"Ao longo dos anos, a linha da Barbie Fashionistas tem vindo a evoluir, para que possa representar melhor o mundo que as meninas veem à sua volta. Estamos muito contentes por mostrar os novos modelos Fashionistas, que fazem desta linha a mais diversa no mundo", anunciou a empresa no Facebook.

Esta linha, conta o Mashable, pretende refletir uma variedade de aparências e identidades, contando para isso com um total de cem looks.

"Como marca, podemos elevar a conversa em torno das deficiências físicas, incluindo-as na nossa linha de bonecas, para mostrar uma visão multidimensional de beleza e moda", disse a Mattel em comunicado, citado pelo Mashable.

Segundo a empresa, os fãs pediam frequentemente que fosse lançada uma boneca que andasse de cadeira de todas, e a Mattel decidiu aceder ao pedido. Para garantir que a boneca era fiel à realidade, trabalhou juntamente com o UCLA Mattel Children's Hospital, bem como com especialistas em cadeiras de rodas.

A cadeira de rodas poderá, segundo a Mattel, ser usada por qualquer boneca da linha Made to Move. Além disso, será lançada uma rampa para a mesma.

Já a boneca com a prótese amovível foi feita em colaboração com Jordan Reeves, uma rapariga de 13 anos, responsável pela criação da fundação Born Just Right, que desenvolve soluções para melhorar a vida de jovens com deficiências.

Nos últimos anos, a Mattel tem vindo a procurar tornar-se cada vez mais inclusiva. Além de diferentes tipos de corpos e tons de pele, incluiu profissões que habitualmente eram atribuídas aos homens, como a engenharia robótica, como forma de fomentar o interesse das meninas pelas áreas de STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática).

Em março do ano passado, a marca resolveu homenagear mulheres inspiradoras, criando bonecas que representavam a pintora mexicana Frida Kahlo, a golfista mexicana Lorena Ochoa, a cientista afro-americana Katherine Johnson e a aviadora norte-americana Amelia Earhart.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.