Premium Aos 37 anos já é tarde para SNS. "Quem tem 6 mil euros para pagar fertilização no privado?"

O banco de gâmetas do SNS parou com o chumbo do Tribunal Constitucional à lei da procriação medicamente assistida. A lista de espera é enorme e há quem já não possa ser pai e mãe.

Os partidos discutem as alterações à lei da procriação medicamente assistida (PMA),chumbada pelo Tribunal Constitucional (TC). Parou quase tudo há sete meses e, quem não tem dinheiro para ir para o privado, é obrigado a desistir da maternidade.

"As pessoas que entraram no projeto de maternidade através do PMA com 37 anos já não o vão conseguir realizar no Serviço Nacional de Saúde (SNS)". A afirmação é de Carlos Calhaz Jorge, diretor do Centro de PMA do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, unidade que espera pelas alterações legislativas para voltar a fazer tratamentos de fertilidade com recurso a doações de esperma e/ou ovócitos.

Ler mais

Exclusivos